Seguidores

terça-feira, 15 de junho de 2010

Joca Faria






Terceiro setor micro empresários das mazelas sociais?







Indiferença nunca é o caminho a vida corre em passos largos. Feito um cavalo livre de cercas. E nós nos prendemos a cercas imaginárias? Que são as utopias? Mais quais utopias? Me vejo cair de um grande edifício. E não criei asas ? Irei me esborrachar ao chão. Sempre me vejo nú em sonhos e hoje finalmente me vesti? Ando assistindo a filmes Americanos na telinha mas os filmes Brasileiros para mim são exóticos. Sempre trazem uma novidade são dificies de digerir. O estado financiando o cinema nacional permite um montão de experimentações e arte é experimentação não se pode prender-se a formulas pré-fábrica das. Estou assistindo sempre o Canal Brasil da Rede Globo com uma programação que privilegia o fazer cinema. O nosso cinema na TV a cabo. Só falta um canal com filmes Europeus, Asiáticos consigo ver filmes destes países mas sem legenda. Mesmo assim se vê uma variedade da produção mundial estes dias vi um pedaço de um programa estilo Chaves numa TV Árabe. Só falta a TV Aljazira em Português falta uma fusão da TV com a internet. Tanta comunicação e não vemos surgir novos lideres revolucionários. Hoje fiz uma critica a Revista Caros Amigos a um amigo dono de uma banca de revista e chamou-me de vendido. Os donos de banca de revista são intelectuais natos. Sempre se tem um papo agradável e inteligente com estas figuras. Este amigo diz que deveria ter uns trinta Hugo Chaves na América Latina como um todo. Acho que tanto Lula como Chaves tem uma boa estratégia politica. Cada um a seu modo. E devem trocar figurinhas. É duro só falta seis meses para terminar o governo Lula e não vai tarde. Uma outra pessoa tem uma tese que Dilma se elegendo Lula virá Ministro das Relações Exteriores do próximo governo. É uma idéia boa para que uma figura carismática um grande líder que não tem um diploma universitário precisa- se aposentar. Nem eu quero vestir pijama. Ando fora de revoluções pois não vejo nenhuma acontecendo. A maioria do terceiro setor é uma maneira de terceirizar as atividades do setor público micro-empresários das mazelas sociais. Vi ontem um filme nacional com uma professora de balé que fazia um trabalho legal numa favela. Também vi a ausência do setor público na única ação pública um policial corrupto entregou um bandido ao seu rival. O filme desmitificou a mentira de que traficantes são bem feitores da comunidade. Marisa Orth fez uma atuação excepcionall bem longe de suas caracturas na tv. Ela no cinema tem feito vários filmes é uma grande atriz. Este filme ousou um pouco tentando ser também um musical. Precisamos de ousadias como esta e também de um cinema comercial que leve milhões ao cinema como é o caso das produções de Daniel Filho. Que sempre cria uma obra que traz o povo ao cinema. O governo no Brasil deveria investir na criação de polos de cinemas regionais como a Petrobras faz em Paulinia no Estado de São Paulo. Sem uma interferência do Estado não há cinema. E questão de estratégia nacional. Ter uma industria cinematográfica forte com produção e distribuição. Cultura não é perfumaria. Sabemos mais da vida norte Amercana do que da nossa.

E isto nos torna pobres de espíritos só vejo o Brasileiro ter um afã nacionalista durante a copa e isto não me fascina. Temos uma história de conflitos que tiro por base na leitura de Grande Sertão Veredas de João Guimarães Rosa que ando lendo recentemente vi uma palestra sobre Padre Cicero que é uma figura histórica que nunca dei uma atenção mas foi um grande líder politico uma historia desta precisa ser filmada por vários diretores. Estes homens e mulheres que fazem e fizeram nossa historia mostra que o Brasil foi forjado a ferro e fogo e não somos tão ovelhas ou gado como parece. Por isto cultura não é nunca foi perfumaria.

Por isto precisamos de arte e cultura tanto como educação. E estamos ai miremos em personagens como Padre Cicero que aos quarenta e cinco anos deixou de ser um padre de aldeia para virar um líder um novo Jesus Cristo para o povo brasileiro graças as visões de uma beata.

A vida da muitas voltas e sempre devemos estar preparados para estas voltas. A vida é passageira ou teremos uma vida comum bem sem graça ou nos entregamos a ela e teremos uma grande Odisseia.

Indiferença nunca é o caminho a vida corre em passos largos. Vamos arrebentar nossas cercas imaginárias? Ou iremos acreditar nelas?



João Carlos Faria



Pasárgadas



Editora

Nenhum comentário: