Seguidores

quarta-feira, 30 de junho de 2010

Joca Faria








E nunca olhar para trás para não virar sal ...





Uma dor dá ausência de liberdade. Felizmente a internet não esta funcionando. Uma grande dor de existir. Uma vontade de cair no mundo. Gostaria de ter o desprendimento necessário para cair ao mundo. Como diz Samael Aun Weor O HOMEM ESTÁ CRUCIFICADO A MATÉRIA. Gostei da imagem que Davi F. F. Criou numa palestra ao fazer a cena de uma crucificação. E de consolo vem esta a música Zepelim de Chico Buarque. Que daria um grande filme. Ontem uma terça – feira assisti a um final anárquico de um filme nacional onde um travesti se joga do prédio após tentar se aproveitar de um garoto e caiu numa sexta. Cinco andares abaixo felizmente sobreviveu. Depois uma garota pelo jeito prostituta. Beija numa bela cena dois homens numa arvore vai para a estrada deixando eles para trás e pega uma carona com um caminhoneiro. E vai se embora. Como conseguimos nos apegar a estas vidas bem comum que temos. Um numa loja . Outros num banco, outros funcionários públicos. E alguns eternos artistas desempregados. Vejo a infelicidade na face de cada um de nós. É a vida sem se descobrir é uma grande merda. Isto uma merda. Hoje não consegui terminar minha hora de mantra. E agora Chico canta Construção ai fodeu. Como se achar ? Como mergulhar na investigação esotérica de corpo e alma. Ir além dos conceitos dos livros. Experimentar … E o ridículo de alguém de nossa turma se intitular mago. Atualmente nem magro é. Somo um monte de charlatões a se dizer artistas, políticos. Mas que tentam o novo. E esta massa que acredita em copa do mundo? Eleições? E Chico vai de Meu Caro Amigo. Este Chico é um grande cronista. Como nós podemos mudar ? Realmente nos mudar adentrar dentro de si mesmo e chegar a realidade. É um caminho sem volta. Não há droga que salve. Não há álcool que salve. Não há vaidade que dê resposta. Não adianta temos que tomar um choque de realidade. Desculpem não consigo ser festivo o tempo todo. Este neo liberalismo corroendo vendendo ilusões de mercado em qualquer parte do mundo é a mesma ilusão de ter. Sempre enquanto humanidade nos distanciando do ser. Hoje negamos a existência dos Deuses. Não mais festejamos o divino. Estamos num grande abismo? E ai o que fazer como recriar algo novo. E Chico canta Apesar de Você meu caro Chico cade o outro dia?

Talvez os poetas festivos de nossa cidade estejam sertos é melhor fingir que não vê? Não prefiro descerrar o véu. Por mais dor que me cause. A realidade é dura mas libertar. E hoje faz um frio de inverno. Estou vivo. Estamos vivos. Já não sou tão jovem como na foto que vi. E continuo a persistir enquanto tiver saudê física e mental. Tem hora que dá vontade de construir uma asa e sair voando. E nunca olhar para trás para não virar sal.

A eterna rotina nos sufoca. As articulações que nunca dão em nada. Fazemos fazemos e sempre morremos na praia.

Lembro-me da desolação daquela trés pessoas num barco a deriva no filme Limite de Mário Peixoto. E o filme termina e eles no barco. Estamos também a deriva? E do jeito que vai estaremos sós no inferno.

Quero criar minhas asas. E Milton Nascimento e Chico Buarque cantam O CIO DA TERRA.

Vamos debulhar o trigo. Vamos semear uma nova sociedade ainda temos tempo? Chega a juventude esta dentro de nós … Como a infância nesta maturidade já instaurada.

E Chico canta a Homenagem ao malandro. Também graças aos Deuseque sim existem. Também já fui a Lapa. A lapa é linda é o Rio de Janeiro apesar de tudo continua belo. Ainda temos chances de construir nossas asas e voar. Romper com nossas velhice com o que nos prende ao velho homens que ainda somos. Nos desprender de nossas vaidades. E juntos dançarmos uma grande ciranda numa praça num parque de nossa cidade.

E Chico canta junto com Milton Cálice. É Chico PAI AFASTE DE MIM ESTE CALICE DE VINHO TINTO DE SANGUE.

Afinal não temos pecado nenhum. Temos uma eternidade para chegar ao ser. Mesmo que caímos num abismo. Mas quero subir chega de cair. Quero subir alcançar a liberação final. Chega de ser Lunar quero voar até Sol. E tornar-me parte do Sol.

O Sol surgiu ainda é manhã. Ainda é manhã nossas almas estão em construção. O SOL desperta nossas forças. Chega de titubear vamos em frente. A dor passou mesmo que temporariamente esta dor serve para chegarmos ao real. Pois ainda estamos na ilusão.

E como diz Samael Aun Weor O HOMEM ESTA CRUCIFICADO A MATÉRIA.

É a hora deste que se faz homem se despregar e chegar ao SOL.

E Chico finaliza com a música Sem fantasia junto com Gal Costa.

Tudo passa devemos ser passarinhos.



João Carlos Faria



Pasárgadas



Editora

Nenhum comentário: