Seguidores

terça-feira, 15 de setembro de 2009

A mentira do processo colobarativo?

Joca Faria

A primavera esta chegando não pela data. Mas pelo nascer de flores nos Ypés na subida do morro da Vila Industrial. Avistei pela janela de um ônibus aquelas flores nascendo. É primavera. O Festivale já foi preparo uma performance para ser lançado no Rio de Janeiro inspirada em Gentileza e Bispo do Rosário é um figurino de Eliete Santos feito para este poeta que vos escreve.
A dinâmica do fazer teatral hoje está maravilhosa. Belos grupos , mas se perdem nesta idéia absurda de processo colaborativo as peças se perdem em roteiro. Até parece que não surgem novos escritores na cena nacional. Que mentira ? Estamos num processo de organização da nova literatura liderados por figuras como Marcelino Freire, Fabricio Capinejar, Joca Reners Terron para falar em alguns nomes mais badalados na cena.
Falta aos grupos de teatro ver sites como Cronópios e fazer um contato e os autores estarão ai para colaborar neste processo atual da arte brasileira.
Uma das coisas que observei no Festivale é quase um endeusamento do fazer teatral Bispo Macedo que se cuide vai surgir uma nova igreja daqui há pouco. Ouvi até bobagens vindo da boca dos críticos que o teatro é a principal manifestação artististica discordo a arte como um todo nos envolve .mas não somos tão gênios assim para fazer tudo e a vida é única.
Por isto nos envolvemos com uma ou outra área não me vejo segurando um monologo ou espetáculo por uma hora adimiro quem faz isto bem feito.
Quem sabe com muito estudo, ensaio e oficinas até chegue lá.
Mas poetas não conseguem ensaiar poetas lêem e escrevem e fazem política.
O Festival contou com as presenças de Alexandre Mate uma figura lúcida e defensor da cultura nacional. Valmir Santos jornalista de artes.
Conheci o mestre José Facury com belas colocações, Thais Helena D Ambrosio jovem e bela e talentosa.
Heitor Saraiva um homem de teatro.
Mediação de Fernando Rodrigues.
É o Festivale se foi nos deixa saudades e a doce vontade de criar e fazer de São José dos Campos um grande pólo de arte.
Graças ao Universo estamos ai vivos por mais uns cem anos e vamos em frente.
Saudações ao mestre Cláudio Mendel. Que luta por um teatro profissional em nossa região uma luta de mais de trinta anos.
Pensem e debatam sobre a merda chamada processo colaborativo passadas por uns acadêmicos desavisados.
Gostei de sacar a importância das universidades na cena cultural brasileira enquanto formação e embasamento a Eca não é tão Eca assim?
Mas Caetano Veloso não é ingênuo e saca as falhas acadêmicas.
No mais estamos ai e aqui em Sampa, São José dos Campos num Brasil de todos nós. E para todos. Eita vou mandar prá Dilma Roussef.
Abraços ao universo inimaginável das artes que todos achemos o caminho das pedras da profissionalização.
AS FLORES DE SETEMBRO ESTÃO AI TUDO RENASCE APÓS O INVERNO ...

João Carlos Faria

Editora Pasárgada



http://www.youtube.com/watch?v=dj_cwFxBM_A

Nenhum comentário: