Seguidores

domingo, 16 de novembro de 2008

Sua alccova...?

Joca Faria

Somos todos Alenn Ginsberg ? Nunca me apaixonei tanto por um poeta quanto agora por Alenn para mim antes sempre foi Fernando Pessoa ...Em todos os espaços de meu coração agora tem uma vaga garantida para Alenn...Dentro destes imenso coração de pourra-louca como sentenciou Vanessa Alves. Não sou nada mais que alguém que almeja libertar-se das algemas da vida...Só quero a liberdade como esta agora de poder escrever nú diante de meu computador. E ficar em casa esperando a sinusite se curar...Nada de Festivale por estes dias. Quero sim uma forma de ganhar um dinheiro honestamente sem me vender ao burro sistema...Compreendo a dor de Paulo Rafael pois nos poetas sempre há sentimos em nossa pele. Espero que ele encontre seu caminho e faça sua história, pois faço a minha e você leitor que faça a sua. Estou contente com meu caminho espiritual... Em busca da realização plena estou me ligando naquela bailarina e filosofa de gênio indomável... Será que ele já me tem em suas mãos?Quero que ela me tenha em sua alcoova...Nunca me apaixonei por ninguém sempre fui ligado em mim mesmo. E agora quero dividir minha vida comum com ela.Troco todos meus velhos amigos por ela...É por que eles já me deixaram. Que coisa e achávamos que nossas amizades eram para sempre. Nada é eterno nem mesmo as amizades verdadeiras...Com meus amigos a intimidade era tanta mas só não fizemos sexo...Pois o resto de tudo ...Mesmo que já não me amém continuo a amalos...Aprendi muito com eles sempre fomos ótimos perdedores...A cidade se diverte com nossas separações...Que os anjos protejam vocês em suas novas jornadas. Para mim que venha ela a bailarina rebelde e novos amigos chega à tarde que se encerra... Qualquer dia destes faço uma faculdade, arrumo uma grana e vou espalhar o conhecimento gnóstico por todo o planeta... Quem diria eu poeta pornográfico que só falava em sexo...Agora em busca de um novo caminho...É assim já estou com saudade de minha amada bailarina... Não escrevo o nome dela , pois ficaria zangada comigo...Quero a em uma alcova...longe da vida real...Ouço o fanke que toca na esquina...Nossa livre calipigia se espreguiça e não sai da gaiola. Enrolo para terminar o Uivo o livro para variar não é meu...Não tenho nada não porque não queira...Sempre quero ter um carro para rodar está América que para mim não existe fronteira. E não existiu para Samael Aun Weor que foi apé com sua família da América do Sul até a do Norte ficando no México...Onde fez a maioria de suas obras ...Tudo acontece neste fim de tarde até esta avenida ficou em silencio em breve sairei desta avenida onde morei por quase trinta anos...Vou-me embora para Passargada...Lá não há mais Rei foi proclamada a República Libertária de Passargada...Agora lá não há mais bordeis...nem fome...nem Rei todos os filósofos tem vós...E todo o povo pensa...Lá não há pornografia, mentiras e ilusões vou-me embora para Passargada lá não há mais Rei agora lá se anda nu, toma banho de chapéu ...E todos sabem o que é a real liberdade...Tenho de lá a chave do Portal que fica nos fundos do Parque da Cidade de qualquer cidade....Vamos minha amada única atravessar o portal para Passargada? Beijos infinitos beijos e muitas e muitas orações a esta humanidade que talvez chegue ao fim? Ou o começo? Quem sabe? Quem sabe?

João Carlos Faria

Mundo Gaia

Literatura, filosofia e arte...

www.mundogaia.com.br

Nenhum comentário: