Seguidores

quinta-feira, 23 de outubro de 2008

No fundo somos humanos ?


Joca Faria



Oie um beijo aos leitores se é que os tenho. Mas aos que ainda não me leram acabo de sair de uma oficina da amiga Rita Elisa Seda onde ouve um bate papo com Vincius Novaes jornalista de nosso Vale paraibano. Digo nosso pela leitura quase diária e pelo quase convívio de muitas matérias há anos... E por enviar a eles sempre minhas idéias. O que é a escrita se não o registro de nossas idéias culturais, políticas e sociais... De caráter ideológico e ás vezes não... Há um tempo venho tentando desenvolver meu jeito próprio de escrever. Nem sempre sei se me faço entender. Por isso estou aqui agora há saudalos meus poucos leitores. Tento fazer uma mistura de crônicas, contos, ensaio e poesia no fundo somos todos poetas. O Ramo ore observou esta minha intenção e falou-me que é muito perigoso, mas viver é perigoso... Quem não arrisca não apreende...se eu errar sou mais um blogueiro num palheiro virtual.
Mas se acertar? Mais o belo para quem escreve é ser anônimo. Logo eu que faço quase tudo para me destacar escrevendo. Talvez seja um pouco de maturidade chegando... Tenho convivido pouco com os loucos deste planeta. Estou ficando normal demais isto é perigoso para quem cria.
Eu amo e odeio meus amigos da Irmandade Neo Filosófica, mas tudo passa. E o treem fica?
Não sei... Mas é a saudade daquele povo das afundaçoes da vida... Que freqüentavam as bibliotecas gente que sempre aprendi muito e nunca lês disse isto... Mas mesmo que tarde digo que sempre amei meus amigos. Sempre os achando tão estranhos quanto me acham... No fundo somos humanos?
Sempre com quase pouco de dinheiro saiamos para nos divertir e preparar nossas rebeliões... Hoje cada um em seu canto e todos nós em nossas vidas normais?
E prepotente mente nos achávamos os caras... E todos estamos sempre anônimos longes das câmeras de televisão e páginas de jornais, sites de noticias.
Pois Vinicius Novaes tudo passa e as crônicas ficam? Não sei isto não importa o importante é conhecer sempre novas pessoas para viver novas aventuras.
Qualquer hora desta arrumo as malas feito o Lasdislau e vou passear na Amazônia, mas tenho que tomar as preocupações recomendadas pela Dirce Araujo... Quase fui de caminhão para o Acre com o amigo que tinha um caminhão o Júlio, mas não rolou. Andar de caminhão e viajar sem ser turista.
Será que tenho que mudar minha escrita? Deixo para o tempo. Nunca somos os mesmo... Como compôs Belchior... No mais tudo passa e eu canarinho?
Não sei tenho vontade de voar... Um dia abro a porta de minha prisão imaginária e vou bem alto.. Bem alto ... .mas sempre voltarei para meu sertão Vale paraibano quando faremos cinema nesta terra?
Num sei, mas eu vou voar nem que seja na minha imaginação...pois sou poeta...beijos ...tó indo ...voar em meus sonhos....

João Carlos Faria

Mundo Gaia

Literatura, filosofia e arte

www.mundogaia.com.br

Nenhum comentário: