Seguidores

domingo, 10 de agosto de 2008

Quando setembro chegar

A amiga Zenilda Lua

http://zenildalua-alfazema.blogspot.com/

Joca Faria


Quase tarde, mas ainda antes do almoço amanhã passou voando ainda não fiz nada neste dia além de cuidar de pássaros e preparar atividades para a semana que entra e tentar saber o que acontece no mundo hoje. É Domingo e não quero fazer muita a coisa além de comer e dormir a tarde toda amanhã tenho muito trabalho hoje é descanso...
Por um descuido do dia recebi um poema por email de Zenilda Lua e dito feito entrei lá depois da tarde dormida deste poético dia e não é que descubro outra Zenilda Lua lá uma poetisa ou poeta? Firme e forte com belos poemas que encheram esta tarde silenciosa de flores como só as mulheres podem nos trazer. Tem vezes que num shopping vejo as lindas mulheres diante de meus olhos e esforço-me para acreditar que são humanas... Eu as admiro tanto que vivo contrariando ao machismo e dizendo aos anjos e aos Deuses que se me derem outra vida quero nascer uma bela mulher...
Já ouve tempos que não tinha segurança de minha sexualidade hoje sei que sou homem, mas conservo em mim um lado feminino que nunca deixarei morrer talvez a mais bela parte de mim...Diz os esoteristas gnósticos que temos que equilibrar nossas partes masculinas e femininas assim seremos homens e mulheres completos.
E Zenilda Lua é mulher das de verdade,
E quando setembro chegar sei que todos estaremos no Parque Santos Dumont a cantar e declamar mil poemas já não sei , mas vecejar e ontem alguém me falou que a magia e cantos nos poemas e eu sempre que digo que não gosto de rimas é uma herança de nossos modernistas que guardo em pífia razão...
Só Chico Buarque soube cantar-se como mulher até hoje desconheço outro poeta um amigo falou-me que Chico bebe então ele também é humano e falho com nós...
Hoje sonhei com meus avós que já não SE encontram neste plano físico na Velha casa do Jardim Paulista as pessoas amadas partem , mas em sonhos nos reencontramos mostrando-nos que a o após a vida.
Tudo passa talvez este texto fique e eu passarei....e todos nos como o velho poeta passarinhos.
Vou-me indo ler mais de Zenilda ESPERO que a encontre e aqueles que ainda têm pais e avós aproveitem. Deixo aqui a saudade ao velho poeta José Omar de Carvalho ontem encontrei Ricardo seu filho andando de bicicletas pelas ruas da Vila Ema... assim tudo passa, nos passamos e nenhum poder muda isto só o amor....amor ...une-nos....

João Carlos Faria

www.mundogaia.com.br

Nenhum comentário: