Seguidores

quarta-feira, 30 de janeiro de 2008

Parceiros de grandes novidades....

Um texto ao irmão Cazuza...


Joca Faria


Chove e ando pela cidade catando sonhos no chão como os pombos catam milhos...vivo tentando despertar de sonhos é muito estranho...a metafísica para mim é o tempo todo...quantas dimensões nos cercam...e o universo conduz nosso caminho..pois somos
Caminhantes de estrelas...Enquanto escrevo estas linhas sinto fome ao terminar comerei uma pamonha ao lado do mercado municipal...mas o que isto tem a ver com você leitor...tudo pois tudo é tudo e nada mais...já sabe o leitor que o milho faz parte de nossa alimentação...então tudo tem a ver...porque não se fala de comida em textos curtos e longos...
Brincadeiras de roda ...vejo crianças brincarem pelo centro da cidade...ainda não fiz minha leitura de hoje...não há sol...caminho com meu velho guarda-chuva...a cidade tranqüila as vésperas de mais um carnaval e retorno a conversar com aquela mulher que só ouço a voz por telefone e vejo suas imagens pela internet...mas nos damos muito bem , não ligo que ela critique minha gramática é ruim mesmo...gosto de mulheres que mandam e não das que obedecem...não quero ser o rei do lar e sim um parceiro de grandes novidades...
Nossas mentes se dão bem , nossas almas se enlaçam e os nossos corpos?
Quem sabe , quem sabe...tudo é perto e longe ao mesmo tempo...e tudo pode ser alcançado...
Uma manhã quase termina ...e vem chegando o meio-dia ...sapos nadam nos rios...meus velhos óculos escorregam pelo nariz...minha velha sinusite dá sinal de vida e o tempo escorre pela ampulheta ...devo terminar o que ainda não comecei?
Ao leitor se ostiver desejo um bom carnaval ...quero estar trabalhando em Paraibuna ...ganhando uns trocados e me divertindo...olha o trem das onze ai gente...
Vou me indo...e a tal da metafísica como fica? Perguntem a ela...?
Vibrem e façam muita festa porque vem ai o Carnaval queria poder ver como eram os carnavais ná época que não era degenerado?
Os Deuses e Deusas estão voltando...e ai renascera a idade do ouro....

João Carlos Faria


http://www.cidadedaspalavras.com.br/

http://fariajoca.blog.terra.com.br/

sábado, 26 de janeiro de 2008

piauuuiiiiii

Revista Piaui e dai?


Joca Faria


O verde a arvore? o som e o nada e o que somos? diante da mulher e da aguia num quadro de magrite?
nada e tudo , hoje vi fotos da geração 60 e tudo volta a mim? o que fazemos aqui? hoje? ...mudamos tudo ou nadaaa....? tenho medo de não ser eu nem eu nem voce? acredito encenar papeis? sou ator sou atormentado...e atormentador...ouça meu cd ...veja minhas desilusoes te desafio chegar ao meio? e que sou claro como sua nudez escondida por sua roupa? seu ser amendrotado desde que saiu do utero de sua santa mãe....
Ela também teve ou tem medo acredita em tudo o que vé na televisão...e voce eu somos mentirosos na internet....vou andar nú na manhã de uma montanhã? que se foda nossas convençoes? e conversaçoes?
sou auto? didatico vou e comer um macarrão alho e óleo enquanto espero te amar, foder tua vagina sem medo....puro desejo....foda-se? ponha teu pau em riste e aprenda a amar seu baitola..bicha paulista...vá trepar ...cara de vaca....ser eu não sou? sou multiplicidade de eu?

João Carlos Faria

www.cidadedaspalavras.com.br



http://fariajoca.blog.terra.com.br/

sábado, 19 de janeiro de 2008

Hedonismo?


Joca Faria


Andando pelo centro perdido em desvaneios . Luxurias nunca realizadas para minha sorte ou azar...Será que não fazemos certas coisas por opção ou falta dela...a vida no cotidiano é tão comum...prefiro o abraço de uma criança a realizar certas luxúrias...nunca sei se sou ou não hedonista...ou por falta de oportunidade ou vontade propria quero ser testado para descobrir quem realmente sou... mesmo que dores venham...temos sempre a necessidade de nos desvendarmos irmos ao abismo de nosso inconciente e ver nossos seres escondidos dentro de nosso eu...e ai sim decifralos, reconhecelos e quem sabe eliminalos...
Ainda não aprendi a silenciar minha mente, talvez chegue lá...tenho muito trabalho pela frente e tantos dragoes de velhas luxurias...talvez em outras vidas realizadas ...tenho as vezes a impressão que tenho a proteção do universo...sempre saio na hora certa de tudo acontecer...e não me envolvo em bacanais?

Tudo flui , tudo é desejo? e depois passam e ai o que fica? o que não fica?
Afinal o que fazemos neste planeta?
Para que servimos? porque sermos sempre egoistas?
Um missil cruza os ares? a população cresce ? a agua acaba?
Nacemos? vivemos? votamos? morremos? e o que fica?
Acreditamos em ideais? governos? e tudo sempre fica do mesmo jeito?
Deus e Deuses? Astros pop?
Tudo passa nos passamos onde fica o eu passarinho?


João Carlos Faria

www.cidadedaspalavras.com.br

http://fariajoca.blog.terra.com.br/

quinta-feira, 17 de janeiro de 2008

रोमा silvestre

Roma silvestre....

JOCA FARIA

Cores muitas cores diante de meus verdes olhos cor de abóbora a cidade esta quente a um sol a nos iluminar antes de o carnaval...quero uma hora destas fazer uma túnica a estilo século vinte e um e sair pela bela cidade a nossa cidade...rica e diversa em versadores .... canto e meus males se espantam quero estar nu ...pelos parquessss com minha neo túnica romana....
Sou um inventivo criador de mentiras inofensivas que tornam-se verdades...não gosto de criar inimizades nem guerras diversassss ando por ai...caminho sem direcao....quero sim fazer cinema ...movimentar a imagemmm....por onde anda estes poetas anos oitenta no qual não conheci...qualquer hora topo com eles ...a febre a febre amarela nos chega com sua forsa silvestre...e eu e meu guarda-chuva...não tenho medo de nada e mergulho nas águas geladas de nossa mantiqueiraaa...
Florestas azuis nascem diante de meus olhossss ....a luz do sol na tarde azul clara....anjos e demônios se encontram no kaotica clã dos úteros nascem e nos caixões somos enterrados...celebremos nossas vidas para não morrerermos em amarguras...quero a lapa dentro de meu coração...quero o centro e a periferia de nossa poeticidade.....
Moria mil vezes Moria que seje espalhados por todos os cantossss,,,,autofogicamente te devero e te penetro e tu penetrame...somos todos canibaisss....porque escrevo e jogo três sss não sei nunca sabemos nada diante desta tela que já não esta tão branca assimmm não sou dono nem senhor de nenhuma verdade....e sim filho das adversidades...a jaula esta aberta? Realmente ela foi aberta? Sera que somos nos os que fugiram? Não sei quero ser eu mesmo um ser de verdades ...e viva este sol que renasce por entre as nuvens vou tomar minha coca-cola....já fiz ou não fiz o dever de casa?
Nunca sabemosss vou indo vou indo pois a jaula esta aberta?

João Carlos Faria

Vejam a historia da cultura jossee segundo o mundo de Beth

http://mundodebeth.blog.terra.com.br/era_uma_vez_eu_69

www.cidadedaspalavras.com.br

terça-feira, 8 de janeiro de 2008

A imortalidade na estante de vidro? Não tenho vidraças?

Joca Faria


Formigas invadem nosso corpo leio a poesia de Fabrício Carpinejar e me distraio com a lua que ainda não se pós . O sol entre nublados ares que atravessa com seus raios pelas telhas de minha casa na Mantiqueira...fico em silencio vendo sombras projetas no meu quarto cheio de estatuas de Deuses esquecidos pelo Tempo. Como pastel na pastelaria em frente a Biblioteca...Não há luz na noite passada....leio um poema de Cassiano Ricardo num mural em sua Fundação agora grito que renasça Cassiano e venha dançar cirandas conosco....os poetas são assim as vezes enterramos para refazer das cinzas uma nova poesia...e que no fundo queremos um livro nosso ao lado dos que já se foram. É o sonho da imortalidade literária...para que ser imortal , não sei dever ser legal ter livros corroídos pela traça...não dé nomes a bois ...pois eles podem voar...tenho mais quinze minutos para completar este texto...e que não sou mutante...quero ter uma família , pois
ando lendo José Saramago no evangelho segundo jesus cristoooo...
Não sou ateu...nem prometeu ...não trago fogo nem luz ainda estou nas trevas...quero fazer amor numa alcova limpa e segura...mas quem ? esta seguro nestes intervalos entre o nascer e o morrer...não somos nada além de nos mesmos...espero ônibus com Marcelo PlAnchez e fazemos filosofias no ponto sem perder o ônibus só deixamos passar para ver as formigas brincando no açúcar caído de um saco de Fabrício Carpinejar...quando era criança roubei nafitalinas pensando ser balas ...e nunca mais roubei...além dos fogos dos deuses...somos anjos caídos tentando levantar...quero somente o sexo sagrado chega de seis meses de luxúria não há tempo talvez as portas dos templos estejam sendo fechadas...como dizia Rabulu aquele que não quero ler...pois tralmatizei-me com seu Hercolubussss...ouçam as vozes dos profetas talvez ainda tenhamos quinhentos anos....não tenho medo do abismo...leio poetas via a net...leio novos poetas e retomo antigos...minha
poesia não é maldita não estou a margem e sim dentro do sistema...quero ser eu mesmo? Mas quem sou?

João Carlos Faria

www.cidadedaspalavras.com.br

http://fariajoca.blog.terra.com.br/

PACOTES DE PAPEL

Da série MINHA INFÂNCIA NÃO ATRAVESSA A RUA SOZINHA


Fabrício Carpinejar

As formigas entraram em meu teclado. Piso nelas em cada letra. São formigas quase transparentes. Ruivas. Eu diria que são formigas fantasmas, mas não acredito em fantasmas. Na minha infância, não havia sacolas de plástico no supermercado. Eram sacos de papel. De vez em quando, os pacotes se desmanchavam, dependendo da ordem da comida, e as compras tombavam ruidosamente. O pão de casa era um só, grande. Minha mãe o cortava sempre em quinze fatias. Não errava as porções em nenhuma janta. Não beneficiava ninguém. Antecipava-se aos ponteiros. Cada um recebia três nacos. Até hoje não ultrapasso minha cota. Eu acostumei minha fome à trinca de rodelas. A casca ficava por último. A casca é a verdura do pão. O miolo amaciava o sorvo. Não precisava cobiçar o outro prato. Meus olhos não usavam talheres. Eu jurava que todo sonho na infância já era uma forma de ser adulto. Havia um calendário na porta da geladeira. Meu pai jogava dominó
com os dias. Nunca tive dinheiro para pagar a diferença entre meu nascimento e minha morte, por isso continuo vivendo. Os caroços que arremessava na terra não cresciam em árvores. Deveriam crescer para pássaros. Tudo que não germina no chão germina em vôo.

sábado, 5 de janeiro de 2008

Dúvidas sobre o gozo?


Joca Faria


Folhas balançam em silencio, p´´assaros não dormem na longa noite....não assisti a Caetano outro dia arrumo um dvd dele.....hoje só assisto a novelas e jornais...nada mais que isto....um carrinho de criança cheio de mato dentro...o calor começa a aparecer...hoje a encontrei no orkut...ela bem bela ...
e eu somente eu...e nada a mais ontem vi os capitulos das novelassss....continuo a dormir acordado preciso despertar...não comerei daquela mortadela nem mais eu...insetos passeiam na bate caverna...

Tenho estranhas vontades , de novo cantei a mulher do carrinho....pássaros montam ninho eu em silencio...uma obra estranha em minha frente que o Nicolau diz ser arte , tenho dúvidas...
Dúvidas sobre ests estranhas e entranhas obras comteporaneas...quem são estes que se denominam artistas? em que fazem arte? bienais de espaços vazios? filmes sem roteiros...? e ai? e dai?
Nuvens se formam ...a chuva vem e vai...daqui a pouco caminharei em silencio a pensar o que ainda não escrevi...o que devo escrever? criar formulas sociiais novas...criar uma nova filosofia politica?
que pretensão esta minha? masss tudo deve nascer...trovoes assustam aos homens da caverna...azf diz que a poesia de Edu não tem significado nenhum e que não vai ter embate comigo por um artista como edu? diz que ele não existe? tenho dúvidas será que tamb´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´ ´´´´emmmm existo?
ou azf existe....nada aconteceu em belo horizonte...nenhuma esperiencia mistica...vai chover logo diz a bela vó...será realmente que há movimento cultural em São José dos Campos? assim questiona azf...em minha area...sé é que tenho algo....um vento diz ele que algúem nõ passa de copista de tecnicas fajutas...não há artistas em nosso quintal...? e cineastas muito menossss.?..peças provocativas aconteceram no set disseram-me que sem fundamento...um prato de maccarrão pessoas nuas sem motivo?
para que? não sei adoro a nudez...mas gozar em cima de crucifixos? isto já foi feito é como enfiar uma coca no anus para que? por isso Solfidone cortou relação com a gente?
arte não serve para nada se servisse para ago não seria arte?
fazemos pela alma enquanto corpos estão em farrapos? politica para o bem comum a onde acontece?
não sei não sei? o sol surgiu depois da chuva tomo um café.....
e voces chegarão ao final? para que todos somos inuteis? e uteis?
descartaveis...e nada além disto...faça algo de verdade virem seres humanos de verdade? ainda não somos nada? ou somos algo? a uma data quando nascemos e outra quando partimos? e este intervalo?


João Carlos Faria

www.cidadedaspalavras.com.br

http://fariajoca.blog.terra.com.br/

quinta-feira, 3 de janeiro de 2008

Eita sol....


JoCa FaRia


Aqui estamos 2008 e pra começar descobri na web que nosso Chico César lançou seu livro de poesia...recebi um texto do Almirez e estamos ai curtindo esta modorra joseense...
Eita sol quente só...como o abda Almirez é um capitalista inveterado e os texto dele são engraçados proponho abrir uma conta e comprarmos textos deles a 10 centavos e só depositar na conta dele...agora ele que mande o número dá conta...
No mais recebi poemas de REGINALDO POETA GOMEsss...estou saindo hoje para correr atrás da grana, já viram desempregado tirar férias...preciso ganhar dinheiro neste ano...pois prometi a mim mesmo ir ao Rio de Janeiro agora em Janeiro e não tenho capital...
Uma vez lá em Paraisópolis mg perguntei ao meu avó o João Caetano quanto custava o paster e ele me falou se eu estava sem capitar pra comprar o tar do paster...
Tudo pode acontecer em 2008 basta arregaçarmos a manga e ir atrás eo núcleo de vídeo do Cidade das Palavras vai nascer nem que eu faça os vídeos sozinho, por falar nisso preciso de uma câmera de vídeo cadê o João Nicolau...
Tenho assistido muita novela por estes dias e lido muito também estou ilhado lá na Vila Industrial preferiria Copacabana mas chego lá...
Devo montar um negocio este ano e cuidar mais de minha parte profissional já não acredito em cultura como meio de vida e sim como realização pessoal embora sonhe ainda em montar um espaço cultural...
Acho que hoje não sai um texto literário e mais um bom bate papo...Eita Sol eu preciso de uma boa cachoeira...eita vontade de nadar...
Tudo é hoje não se esqueçam só existe o presente nem futoro e nem passado...o Marcelo anda com um bixo esquisito dentro do umbigo diz que nasceu.....NA noite de natal e só fica no sofá o dia inteiro ,logo ele que não para em casa...diz que tem um pé de porco prantado na casa dela para o natal do ano que vem....
Eita sol e eu neste ar condicionado da biblioteca ...e tudo de novo vai acontecer neste ano e nos próximos , prometo a mim mesmo não trabalhar nesta eleição...não vou perder meu tempo....
Um abraço a todos e aguarde vem ai muito texto e quem sabe um romance...por falar nisso o Evangelho segundo Jesus Cristo de Saramago e muito bommm...
FIquem com seus deuses interiores e vou me indo prometendo voutar o mais cedo possivelllll...
Beijos a todos....

João Carlos Faria

www.cidadedaspalavras.com.br

http://fariajoca.blog.terra.com.br/