Seguidores

quinta-feira, 8 de novembro de 2007

Cinéfila

Joca Faria

Monitores muitos monitores de vídeo em todos os lugares...corpos vermelhos...passos apreçados ...sol a pino no meio dia...entre o Rio e São Paulo estamos nos aqui...onde tudo nunca acontece...e tudo desaparece...quem não pode fugir...está em meio a chuva acida, a nascentes tampadas ...e ruas floridas...não acredito mais em partidos...mas sempre estou em corredores e gabinetes...a propor alguma idéia que nunca se realiza...porque não fazemos cinema? Não é tão impossível assim quero retratar esta urbanidade em imagens , sons e palavras...esta nossa Kaoticidade...já retratada em nossas poesias digo nossas pois participo de um imenso coletivo poético....
Que se refaz a cada novo momento agora há pouco caminhava ao lado de Dailor Varella um poeta ...uma voz escondida por traz de si mesmo...
Esta semana lancei idéias neste universo virtual...esta semana não dei palestra...ainda não retratei o Kaos de minha alma, torturada entre o fazer e o desfazer de um raro tapete mágico...onde esta Penélope não sei não vi Elisa, não vi ninguém caminho só e junto na manhã cinzenta...cinema queremos fazer cinema nesta barata linguagem digital...tinha guardado a sete chaves meus segredo e minha paixão por cinema e agora ela transborda...sai com flores a nascer na beira do asfalto....
Além de não ser de estar buscando o meu ser, cismo de voltar a fazer o que ainda não fiz...precisamos criar um roteiro , fácil ágil e criativo que retrate esta urbe de maneira profética e poética minha pouca experiência vem do Urubuzão Humano do Núcleo Ethos ...e agora feito mariposa no casulo liberto-me como borboleta das imagens em cubos de gelo...sou imagens som e movimento sou poeta e cineasta...transfigurado num artista que tem muito e quase nada a dizer...não sou ...sou a ilusão de uma vida pacata...
Que se construa um novo cinema neste Vale Encantado da Mantiqueira...
Deus salve nossas nascentes...e cabe a nos humanos salva-las...vamos criar e recriar nossa vida na grande pequena tela de um computador...somos arte...somos artistas ...somos quase-humanos...que se construa a cinéfila ...nesta urbe Vale paraibana...
Irmãos de todas as nações e reinações de narizinho como um pó de perlim-pim pim nasça o sonho cinematográfico em nosso Vale Encantado...
Vamos que o tempo Urge a vaca muge...e sol desaparece por entre nuvens a luz e boa para se filmar ...as idéias invadem nossa mente e ofazer se faz urgente...
Que viva a cinéfila Vale paraibana...sou imagem em movimento....

João Carlos Faria

www.cidadedaspalavras.com.br

Nenhum comentário: