Seguidores

quarta-feira, 31 de outubro de 2007

Zem conceito

Joca Faria

Eu estou zem dinheiro, zem emprego cheio de trabalho e muito vontade de fazer amor com qualquer corpo que apareça na minha frente.Por isso saia da frente...
Não me importando qual sexo seja...embora me defina hetero as vezes outros corpos me atrai...luto e perco guerras em meu sono, os desejos estão a flor da pele....
Sei que não devo. Sei que leva ao abismo. Mas é a fatídica Lua Cheia a tocar em meus poros.Atrazer desejos não normais mas o que é normal...diante desta era de violência...
Diante de nossa passividade social. Não sei de nada ...só sei que sou ainda humano...
Tento decifrar-me e sou engolido pela serpente enrolada dentro de mim ou ela sobe ou ela desce...
Neste momento esta ligada a terra , faço um esforço sobre humano para ela subir e os seres que habitam dentro de mim. Tentão sufocar a busca da luz...que aparece no fim da caverna...
Meu corpo é pura eletricidade... Estou fervendo...subindo pelas paredes...vou andando como diz Zeca Baliero sempre roto quase nú...
Em busca da maldita felicidade...Da fatídica liberdade...
Isto existe mesmo...liberdade e felicidade ...não sei nunca encontrei algúem realmente livre diante de mim...só em livros e em historia...quero realmente experimentar a verdade...
Só experimentado a quarta -dimensão de fato é que poderemos nos libertar da máteria enquanto isso não chega sempre estamos mais proximos do abismo...quantos passos faltam ? quantas vidas ainda tenho? meu passaporte para o inferno já esta carimbado? Não quero de novo fazer esta viagem de volta a involução quero chegar as mais sublimes dimensoes...e depois chegar ao absoluto...por isso luto contra minhas mais tenebrosas vontades...que morram os desejos e nasçam as virtudes...
Quero ir além da poesia...quero sentir o extase da realidade....
Ai sim voltar a este plano e ir além da cidade dos elefantes...
Sou um Dom Quixote em busca de minha Dulcinéia...não devo mais sucunbir aos meus mais torpes desejosss....

João Carlos Faria

www.cidadedaspalavras.com.br

quarta-feira, 24 de outubro de 2007

NASCE UMA NOVA ESTRELA

NASCE UMA NOVA ESTRELA
Joca Faria

Elizabeth de Souza é o nome dela. As cidades vivem de velhos poetas enquanto novas genialidades estão ai perdidas na rede digital. Quero mesmo é estar a balançar numa rede no bairro do Turvo dentro de nossa Mantiqueira... Longe desta urbe estranha e cinzenta, cheia de barulhos, muitos barulhos em suas avenidas...Todos dormimos enquanto poetas passeiam pela cidade... Não é porque ela é minha amiga que devo deixar de contar aos quatro cantos do mundo sua bela poesia profana e sagrada. Quero é estar dentro de uma fêmea como Eliza canta em seus versos...
Cantar a pureza desta poeta que sem querer é Joseense. Que se dane! Somos o que somos por ser. O sol deu as caras em nossa cidade... Adorei a matéria do Valeparaibano de Domingo que fala de cinqüenta razoes para gostar da cidade que moramos...Amo esta cidade sem hipocrisia. Aqui cresci aqui talvez morrerei lá pra bandas do turvo, só não quero morrer atropelado na minha Vila Industrial, por um bêbado qualquer quando volto do canto coral no Espaço Chico Triste.
Esta nossa cidade é estranha tem males e bons ares. Estive numa festa Domingo, no clube da Sabesp, organizado por nossos irmãos Maçons... Eles sim, são gente boa e humildes...comemos bastante frutas! Lembrei de quando criança no clube da Johnson. É esta cidade cortada pela Dutra cheia de poetas insanos que vivem pela urbe. Conheço mais de vinte e só falam de um. Esta é a cidade das mulheres poetas.
E Eliza Souza é uma que desponta para ficar na cidade das palavras...
Precisamos sim ter um mecanismo de edição de livro, de apoio aos nossos artistas e não ficar proibindo nossos músicos de tocarem. Deveriam se reunir todos na praça Afonso Pena e fazer uma sinfonia de boa música para os medíocres políticos acordarem e fazerem o trabalho deles. Deixem nossos pássaros cantarem...
Poetas é que somos e não descobrimos ser , vivamos enquanto nos é permitido viver...sejamos felizes em nosso dia a dia no trabalho aos que tem trabalho.
Cantemos, cantemos a Cidade , o Vale e a serra , cantemos Eliza Souza e sua fluídica poesia dentro de seu mundo, grande mundo ...não faço rimas... Não quero rimas quero a poesia de Eliza Souza e deixa-la fluir por meus poros, meu real ser...enquanto não morro atropelado por bêbados insanos.
Eu que sempre me imaginei morrendo num grande mar bem longe de altares...Que bela cena final que assisti no sábado ao ver o ultimo filme da trilogia de Tolkien, O Senhor dos Anéis...aquela barco indo embora me senti indo com eles...e não fui....

João Carlos Faria
www.cidadedaspalavras.com.br

quinta-feira, 18 de outubro de 2007

Galaxias Tribais

Joca Faria

Ouço som de nossos ancestrais soms advindos da AUSTRALIA ....da mais distante tribo vozes , vivassss
vejo numa mão uma luz ....não sou não sou faço parte deste copo de aguá.....perco-me no vazio não há vazioooo.danço em torno da terra...vejo arvoressss...soms ancestrais tambores tambores....no vazio infinito sou um piracuara....sou indio indio eletronico perdido numa cidade das palavras......


Galaxias presentes dentro de meu ser....vaijam com os atomos....sou a bola de gude...jogada pelas criançasssss....

Tambores diafanos danço danço ao rtmo de meus ancestraios...não sou eu sou outro outro...mais outro ser sou real....longe da ilusãooooo....


Vejo cenas de outras epocas diante de meus olhosssss bate-se em rtmo alucinante termina com um prato....

O telefone fala....barulhos de um som estranho uma nave espacial...será que os anjos eram astronautas?

Parecem avioes....sou poeta 24 horas por dia ...não sou nada além de humano ridiculamente humanooooo.......

............xxxxccccccnnnnnnnmmmmmmmmmwwwwwwwjjjjjjjjjjjjkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
kkkkkkk....palavras sinais minha antenas captam sinais vindos das estrelassssss...........sommmmm
sommmmm........avioes ....foguetessssssssss....tudo me consome eu anti -homemmmm...estou de saia na praça afonso pena......somos indiossss eletronicossss......Galileu Galileiiii estava certo eu estou certo , voceee esta certa....

Bato minha mãos neste laboratorio de artes...nesta insana gloria sou anti poeta....anti nada eu sou voceeeee.

O céu torna-se vermelho vejo sois eternos soissssss meu estomago ronca volto ao mundo ....tridimensional...agora comum ridiculamente comummmmmmmmm.....


João Carlos Faria

wwww.cidadedaspalavras.com.br

sábado, 13 de outubro de 2007




aditivos num café na casa do Pauic

Joca Faria

Estava a olhar fotos no orkut de algumas amigas...e fiquei leve mente emocionado...levemente porque uso saia e sou muito macho..o que é arte que nos consomeeee... no infinito estante em que vivemosss...neste universo de soms e imagenssss ouço a musica de jornada nas estrelaas que passa num video a minha frente....como rapadura e bebo coca-cola...passiei na feira. ouço papos de prendave, internet, comerciais de absorvente...um kaos nos meus ouvidosss. vejo fotos de Anabel LEE ...NÃO SEI MAIS O QUE FAÇO, QUEM SOMOS DIANTE DESTE MICRO.....quem sou não sou....tudo se defaz em minhas lenbranças entrevisto pessoas corro na madrugada de caes de duas cabeçassss mas que cabeças são estas meu falo esta ereto minha boca sedentaaa das suassss. ouço papo de negocioes eu no meu eterno ociooooo
maos se confraternizam numa dança insanaaaa ......


quem somos quem não somos em nossas eternas buscasss ontem vi pela decima vez o filme dois perdidos numa noite sujaaaaa ...sinto tonturas abissais nunca vejo nada além da janelaaa. sou um cidadaõ de roma em pleno seculo vinte e ummmmm....fotos e mais fotossss ....ouço e vejo sintooooo aprendo como negociarrrrr.......querooo a libertação do que se libertar???? estamos perdidos no meio de dois caminhos cadé o caminho certo.....n~~ao sei jogar taró não sei jogar taró...mas que drogaaaa é esta estou perdido estou a frente e atrasss...ainda estamos na idade média para alguns, somos bicho do mato?

que somo além de mortais talvez eu ainda tenha 100 anossss , vejo faser na nova jornada nas estrelasssss tomo café muito café irei ao teatro hoje mais quem sou , como encontrar-me diante desta ilusória solidãoooooo....

quem é voce que leu até estas maltraçadas linha e anti-linhassss ...milagres não aconteceeee...tudo se fotografaaa com uma maquina digiotallllll tudo se cria num cumputadorrrr quantas novidadess e ainda somos mortais.......


quem somos dispo-me ando nú pela avenida paulista...tinjo meu corpo sou agora um indio eletronicoooo troco presentes pela nete troquemos presentes pela net estejamos mais proximos não somos ainda lobisomensss.

onde estão os deuses vejo fotos da obra de Wagner Molock mas fico mais perdido diante deste negro abismooo

hóooo quanta coisa abra a mão de abraços no pro´ximo como diria eliza ...quanto custa um abraço????

não sei mão sei não....

vou descer até o lagoooo....e nadar núuuu......


João Carlos FARIA

WWW.CIDADEDASPALAVRAS.COM.BR

sexta-feira, 12 de outubro de 2007

vaginaaaaa



http://hardblog.blogspot.com/2004/08/madonna-who-fuck.html

deusaaaaa

terça-feira, 9 de outubro de 2007

A mulher do livro que estou lendo

Joca Faria

Bom dia, boa tarde, boa noite nesta semana de inicio atribulado com O MANIFESTO ENTERREM CASSIANO RICARDO,
Não consegui escrever nada além de rascunhos de projeto fazia quatro anos que não soltávamos uma bomba poética em nossa cidade, conflito eu tive este ano só com amigo-inimigo mas tudo passa como as pastas de dente.
Só se ele aprende-se a separar as amizades da militância política e cultural nunca nos entenderemos...mas horo por ele que seja feliz no caminho que escolheu.mas que ele é maquiavélico ele é.
Nossa nunca fui tão atacado como pelas pessoas que se dizem minhas amigas, o cotovelo delas devem doer muito. Digo não sou nem um pouco louco, receita para agitar a vida da cidade basta ser criativo, ousado, ler bons escritores e ser prático ai a coisa acontece para os mais otários ainda farei muitos movimentos enquanto tiver saúde física e mental.
E aguardem uma futura instalação em alguns locais da nossa cidade. Em breve mais breve do que nunca....
Falta agora eu aprender a ganhar um dinheiro bem honesto com estas atividades que de desonestidade nosso pais anda cheio...
Agora vou falar do livro que estou lendo numa certa livraria da cidade de uma mulher que conta sua vida sexual num bloger na Inglaterra e acabou virando um livro de sucesso.
Ando sempre lendo este tipo de literatura que anda nas livrarias, sou péssimo para conquistar as mulheres e nada melhor do que descobrir o que elas pensam para aperfeiçoar meu lado de conquistador embora só queira uma mulher e nada mais.
Ainda não anotei o nome do livro mas basta ir a livraria e encontrará ela fala de sexo e de sua vida privada de uma maneira simples e direta num diário já li três capítulos.
Ela trabalha como assistente de câmara , trabalha quinze dezesseis horas por dia sem nenhum glamour.
Ela tem uma mania de comprar todo tipo de calcinha bem sexi, não quer casar e nem ter filhos já pensei assim antes e agora quero mudar isto em minha vida.
A família é um alicerce seguro para qualquer pessoa a igreja nisto está certa sem família e amigos não somos ninguém.
Quero terminar adorei um poema do Oswaldo Jr publicado em nosso blog que poesia simples e direta.
Espero que nos brinde com mais poemas até o Azf Casablanca gosta da poesia dele. E olha que o Azf tem um senso critico de rasgar corações a unha.
Sobre o livro prometo mandar –lhes o dado agora vou me indo já matei a saudade da palavra escrita.
Agradeço ao povo do Jornal Valeparaibano pela ousadia deles em bancar um Manifesto deste nesta cidade dormitório nos ainda somos uma província do século dezoito precisamos chegar rapidinho ao século vinte e três....

João Carlos Faria

www.cidadedaspalavras.com.br

Blog do Valeparaibano


http://vpblog1.sianet.com.br/
Falo

Joca Faria

Ouvir no fim da tarde...enquanto crianças dormem, homens dormem sou eu um homem a ver artes estranhas, enquanto ouço Lou Red em nosso láboratório...a cidade aqui e agora na doce tarde de terça feira, sonhei com aquela mulher proibida amim, ela de calcinha de renda...num sofa...eu querendo devoralá com meu penis...e ao mesmo tempo resistindo aos seus encantos...agora ouço enquanto o sol brilha em meu rosto...não sei se estou durmindo ou acordado...enquanto ouço o silencio de meu interior...quero devorar todas as mulheres que encontro com meu falo...

Silencio ao ouvir este canto de um Deus, enquanto vejo Demonios de um artista em fotos, fetos e fatos...crianças morrem no esgoto..jogadas num arroto...quero devora-lá femea insensivel...hoje experimentei um kilt e não coube em mim...afinal quero teu sexo junto ao meuuuuuu......

DEUSES do maal em obras nefastas estas artes da hipermodernidade...estamos longe da castidade...longe da santidade...quantas vezes descemos aos infernossss. o sol brilha brilha em meu rosto quero sentir Deus mais proximo a mimmmmm

Distanteeee sempre distante sempre preso ao euuuu...ouço o som o sol esta entre as arvores...sintome vazioooo busco parar de pensar...quem sou...quem és ...não somossss traga-me suas almas para serem devoradasssss....

Traga-me seu triangulo secreto escondido entre suas pernas enfeitados por calcinhas de rendasss seu sexo é sagrado não ouso mais pegar as mulheres da praça... quero somente uma pois será todas seu corpo não deve ser tocado em vão...quero seu vão entre minhas mãossss beije-me a boca aa sagradaaaa boca...goze goze para dentrooo...va sou o macho sagradooo e voce a femea...

Lou Reddd Lou Reddd vá vamos me dé a mão....sonhei ontem com uma mulher casada sei que não devo...a lúxuria toma-me destroi minha percepção quero ir além do sexo normal quero chegar ao sagradoooo...

Falo meu falo não fala ele se eleva como uma espada ele quer te devorar.....
Devorar ir além dos cinco sentidos...o sol quer se por...pois ele jaá se impossss váá mas volte DEUS SOL ...FICAMOS ESPERANDO PARA SALDALOOOOOO...

Também vou me indo porque ainda não sou...


JOÃO CARLOS FARIA

www.cidadedaspalavras.com.br