Seguidores

terça-feira, 5 de junho de 2007

Café com leite----Joca FariaO que escrever numa tarde fria de Outono acabo de ler Carlos Heitor Cony escrevendo sobre as mulheres grávidas e também uma bela leitura da Revista Piauí com belas historias e historinhas e ainda por cima ganhei o livro Alfazema de nossa Zenilda Lua para ler com muito sabor neste feriado que se aproxima.Esta tarde de frio onde o Sol aparece com seus raios, e onde corremos as padarias para tomar um Café com leite e lembramos de livros que estão com amigos que no momento estamos rompidos é segundo ele foram dezessete anos e eu joguei fora por causa de nossas brigas políticas. Mas pêra lá o cara virou um homem da direita mais safada de todas ele quer é voto a todo custo, que se foda ele a mor cegar nas instituições publicas.Prefiro ser um poeta desempregado a sugar o rico dinheirinho publico.E outro de meus infelizes amigos que a cada momento muda de lado com o vento.Não dá temos que ter posição afinal somos homens ou boi olas.Apesar de colecionar calcinhas sou muito macho.Ontem encontrei uma pessoa que consegue calcinhas que sobram de um certo festival de dança de uma cidade do interior.É tão divertido colecionalas como vestilas, no silencio de um quarto fechado a sete chaves. Dane-se o bom moralismo o que importa são os fetiches sei que são egos mas serão os últimos a eliminar pois são prazeres.Vá entre numa loja e peça uma peça intima do sexo oposto.Uma vez fiquei sabendo de um caminhoneiro que se veste de mulher com a própria esposa dando apoio.Não preciso me confessar a padrecos confesso minhas esquisitices aos meus amados leitores se já os tenho.Mas ter ou não ter não nos faz ser. Manias quem não as tem. Mas todos escondemos. Gente é um grande prazer entrar nas lojas e escolher as mais belas lange ries.A primeira que comprei foi numa loja do bairro em que moro lá pra 1992.Foi interessante fiquei apavorado para ninguém achar ai vesti ela num passeio num comício e numa carreata da Ângela Guadagnim.Imaginava ficar com uma garota e me despir com aquela peça num corpo bem masculino.Coisas esquisitas mas sem trauma nos pretendentes a escritores temos que nos despir para fazermos um texto com alma sem medo das criticas.Somos o que somos e nada além disso e um dia novamente seremos pó.Beijos aos leitores. E amantes da escrita. Estamos numa terça-feira fria e em breve rumarei para meu lar, preciso lavar a calcinha a qual uso.Abraços heteros a todos.João Carlos Fariawww.cidadedaspalavras.com.brwww.jocafaria.blogspot.com

Nenhum comentário: