Seguidores

sábado, 26 de maio de 2007

फ्रोंतेइरस Imáginarias

Fronteiras imaginárias A nossa América do Sul vive hoje um aumento de lideres populares ou quem sabe populistas.
Joca Faria (*)


O nosso continente tem um povo riquíssimo que luta bravamente e nunca se dá por vencido. Não tenho viajado por uma questão obvia falta de oportunidade, mas fiquei sabendo que nosso querido Estados Unidos da América estão com pouco lastro, a maior parte do seu grande dólar foi gasta em petróleo nos anos sessenta.
E daí? Dai que é uma mostra, a grande potencia já não é tão forte assim. Eles nos exploram demais, mas não nego que um dia quero pisar nas terras americanas. Nós daqui do sul temos uma admiração enrustida pelos irmãos do norte, se bem que esta noção de nação e perigosa, somos todos humanos com fronteiras imaginarias.
Esta idéia de patriotismo é perigosa, não devemos nos identificar pela pátria ou língua, como diz Caetano. Devemos respeitar e amar todos os povos. O que faz nosso pais ser tão rico é esta mistura radical e cultural de pessoas.Precisamos ser uma grande nação e parar de usar a lei de Gérson. Não consigo entender estes famosos jornais de bairros sem nenhum conteúdo lógico sem nenhuma reflexão, é papel jogado fora.
Mas, voltando à América, temos que refletir sobre ela com suas armas e sociedade de consumo que aderimos de uma maneira sem reflexão. Para que precisamos de tanto celular, porque devemos trocar de computador a toda hora, porque queremos dois ou três carros na garagem e nos concentrarmos nas grandes cidade provocando um grande êxodo rural.Porque não investimos em transporte ferroviário e metrôs?
Chega de sermos tontos, carecemos de uma nova sociedade, mas não um socialismo à lá Hugo Chaves, uma sociedade democrática, aberta às inovações sociais. Chega desta democracia mentirosa, de partidos políticos fracos e dependentes de empresários e grandes investidores. Chega de bandalheira, chega de corrupção!
Com meios de comunicação como a internet podemos criar novos mecanismos democráticos e uma nova civilização.
(*) João Carlos Faria - jocafaria@yahoo.com.br - www

Nenhum comentário: