Seguidores

sábado, 26 de maio de 2007

फ्रोंतेइरस Imáginarias

Fronteiras imaginárias A nossa América do Sul vive hoje um aumento de lideres populares ou quem sabe populistas.
Joca Faria (*)


O nosso continente tem um povo riquíssimo que luta bravamente e nunca se dá por vencido. Não tenho viajado por uma questão obvia falta de oportunidade, mas fiquei sabendo que nosso querido Estados Unidos da América estão com pouco lastro, a maior parte do seu grande dólar foi gasta em petróleo nos anos sessenta.
E daí? Dai que é uma mostra, a grande potencia já não é tão forte assim. Eles nos exploram demais, mas não nego que um dia quero pisar nas terras americanas. Nós daqui do sul temos uma admiração enrustida pelos irmãos do norte, se bem que esta noção de nação e perigosa, somos todos humanos com fronteiras imaginarias.
Esta idéia de patriotismo é perigosa, não devemos nos identificar pela pátria ou língua, como diz Caetano. Devemos respeitar e amar todos os povos. O que faz nosso pais ser tão rico é esta mistura radical e cultural de pessoas.Precisamos ser uma grande nação e parar de usar a lei de Gérson. Não consigo entender estes famosos jornais de bairros sem nenhum conteúdo lógico sem nenhuma reflexão, é papel jogado fora.
Mas, voltando à América, temos que refletir sobre ela com suas armas e sociedade de consumo que aderimos de uma maneira sem reflexão. Para que precisamos de tanto celular, porque devemos trocar de computador a toda hora, porque queremos dois ou três carros na garagem e nos concentrarmos nas grandes cidade provocando um grande êxodo rural.Porque não investimos em transporte ferroviário e metrôs?
Chega de sermos tontos, carecemos de uma nova sociedade, mas não um socialismo à lá Hugo Chaves, uma sociedade democrática, aberta às inovações sociais. Chega desta democracia mentirosa, de partidos políticos fracos e dependentes de empresários e grandes investidores. Chega de bandalheira, chega de corrupção!
Com meios de comunicação como a internet podemos criar novos mecanismos democráticos e uma nova civilização.
(*) João Carlos Faria - jocafaria@yahoo.com.br - www

segunda-feira, 21 de maio de 2007

Sarau Poético

Encontro Literário

Sábado as 10 da manhã no dia 9 de Junho de 2007 haverá uma palestra dopoeta João Nicolau sobre o processo de sua criação literária e a produção regional de cinema e vídeo.
Na Câmara Municipal de São José dos Campos
Grupo Cidade das पलाव्रस

www.cidadedaspalavras.com.br

Sarau Poético

Dia 26 de Maio as 19 horas

poesia, musica, teatro.

Homenagem a Mario Quintana

Espaço Cultural Chico Triste

Rua Milton Cruz s numero. Jd São Jorge.

tel 12 3929 75 59

Fundação Cultural Cassiano Ricardo

São José dos Campos sp

sábado, 19 de maio de 2007

http://www.vejosaojose.com.br/jocafaria.htm

http://www.vejosaojose.com.br/jocafaria.htm

O rombo de previdência O trabalho é algo difícil nos dias de hoje, a aposentadoria para muitos de minha geração será difícil.
Joca Faria (*)


Os nossos pais que trabalharam a vida toda contribuindo com mais de três salários agora só recebem um minguado salário mínimo e olhe lá. Que crédito se pode dar à nossa previdência social.
Quando precisamos somos mal atendidos. Os atendentes dizem que as reclamações devem ser feitas ao Congresso Nacional. Acreditam que os nossos aposentados são ignorantes o que é um erro. O povo apenas se afastou da política com nojo. É difícil suportar o mau cheiro daqueles que estão nas câmaras municipais, nas assembléias estaduais na Câmara Federal e no Senado. Eles fedem mesmo.
Tomara que o presidente Lula encontre uma maneira de cobrir o rombo da Previdência Social para que essa Instituição dispense à população o tratamento merecido. Afinal, pagou caro para isso.
É impossível comparar o Sudeste com o restante do país e sempre tentei entender isso. Nenhum professor conseguiu me ensinar, enxergo, como muitos, que o nosso problema se resume a uma só palavra: roubalheira. E da grossa, por parte daqueles que se apropriaram da nossa prefeitura, do Estado de São Paulo e do Brasil.
Se assim não fosse boa parte dos nossos irmãos não seriam obrigados a viver à custa do jogo do bicho, dos bingos, dos caça-níqueis, do tráfico de drogas. Atividades consideradas ilegais que, no fundo, são articuladas e comandadas a partir de políticos influentes.
É preciso mudar muita coisa nesse país, e a minha esperança é que isso se faça normalmente, pelo exercício da Justiça e da cidadania sem ser preciso que um aposentado tenha que se submeter a um sorteio para ganhar uma casa própria. Quem promove esse tipo de coisa tem ser chamado de safado e ainda é pouco.
Participar de um sorteio para ter uma casa, coisa de político filho da puta.
É preciso tirar o Estado ladrão de nossas costas. Se o presidente Lula conseguir oferecer saúde, educação e saneamento o resto o povo faz sozinho.
É melhor que o Luiz Inácio pense e aja rápido. O tempo se escoa. A nossa paciência está no fim, basta ver como a violência se expande, e não é só no Rio e São Paulo. As matanças vão invadindo cidade por cidade Brasil afora. De repente, algum prefeito, deputado, governador, senador ou mesmo o próprio presidente pode tomar um tiro na cara.
Será que estão esperando que isso aconteça? Nem gosto de pensar no pior। Se o povão perder a paciência e partir para a briga teremos mais de dez milhões de mortos pelas ruas, aí sim a Previdência será mesmo arrombada। (*) João Carlos Faria - jocafaria@yahoo।com।br -




http://www.vejosaojose.com.br/jocafaria.htm



cidadedaspalavras.com.br - www.jocafaria.cidadedaspalavras.com.br

terça-feira, 8 de maio de 2007

pé ना jaca

Pé na JacaJoca FariaAssistir novelas é uma cultura tradicional neste Brasil , tenho ultimamente assistido PÉ NA JACA e me divirto muito... com esta comédia inteligente de Carlos Lombardi e direção de Ricardo Wadigtton onde acontece no interior de São Paulo muitas atrapalhadas em torno do personagem Lance vivido pelo ator Marcos Pasquim e atriz Fernanda Lima que vive Maria Bó as novelas no Brasil tem a mesma força do futebol nas quartas e domingos ...Conhecemos a historias delas desde que nos damos por gente.A tv Globo montou uma grande indústria cultural neste pais de dar muita inveja ao cinema nacional é uma grande pena nosso cinema estar fora deste esquema industrial cabe ao governo federal incentivar e criar uma indústria de cinema nacional como foi o caso de Vera Cruz nos anos cinqüenta .Hoje a Globo ensaia ainda como timidez a Globo Filmes a Record, SBT, Bandeirantes correm atrás do tempo perdido produzindo bons sucessos como Floribela, Turma do Gueto e outras novelas e também cinema.O Brasil precisa criar um fundo de cultura para produção de cinema, minisséries e novelas.O canal Brasil deveria ser uma emissora aberta e a nossa querida tv Cultura de São Paulo começa com um núcleo de vanguarda na produção de teleteatro.Supervisionada por Antunes Filho um dos grandes nomes da historia de nosso teatro.Isto mostra um amadurecimento tanto de nossos empresários como dos governos de estado e do pais.A televisão e o cinema retratam bem a noção de pais, pena que o sutaque televisivo seja muito do sudeste especialmente Rio e São Paulo cortando e matando nossas diferenças culturais.Mas tudo começa a mudar com novos núcleos de produção que surgem na tv Globo e no cinema fora do eixo Rio São Paulo.Assim caminhos construindo uma nova imagem do Brasil.João Carlos Fariawww.cidadedaspalavras.com.br

होमेंस primitivos

Homens प्रिमितिवोस
Joca फरिया
Na tarde de sol azul, caminhamos por entre nuvens desde o amanhecer a poesia nos faz sentir o mundo de uma outra maneira.Cantemos canções pelo mundo, vamos de mãos dadas dançar ao relento como os homens primitivos.Na flauta mágica tocada pelo poetas dos poetas. Que Gaia nos proteja na luta por sua salvação.E de marte o grande guerreiro nos transformem em novos homens renascidos de nossa morte...Que sorte temos por chegar a nos a sabedoria gnostica como somos privilegiados por sabermos sem nenhum véu.Temos a dura missão de vencer nossos eus e fazer renascer nossa essência...Eu justamente que já fui discípulo de Lilith hoje fujo da influencia da lua Negra... Sabiam que existe todo um mundo de luxúria...e real...tanto quanto somos egos ....Onde encontro minha essência engarrafada.....Tenho muito trabalho a fazer . Devo ser eu mesmo um Hercules a comprir doze trabalhos...Ontem comecei , hoje começo é tudo ilusão....Estamos presos neste labirinto da terceira dimensão...Hó nos que adentramos este caminho espero que sigamos até o fim...pois sinão o inferno nos espera em sua doce agonia....João Carlos फरिया

www।cidadedaspalavras.com.br

segunda-feira, 7 de maio de 2007

festa

फेसतास

Joca फरिया

O tempoAo que parece no fim do horizonte ... Não se encontra nada, mas o que é o nada se não somos o tudo quem dera ouvir falar em festas।Mas que festas? O mundo não é só festas e desejos...O mundo também e a realidade do trabalho da penúria, mas quem disse que o trabalho é penúria? Esta viajando talvez estejamos fazendo uma grande viajem , mas que viajem? Este planeta esta no meio do espaço e da uma volta em torno de si mesmo em vinte e quatro horas.E nunca estamos parados , pois o tempo nos leva para frente, Mas afinal o que estamos fazendo aqui? Carápalida aqui o que? Eu vou e sair por ai a passear. Acabo de comer uma tapioca e vou em frente que não sou sapo nem rã e não quero ser mordido pelo mosquito da dengue não.Ando sozinho , mas Ás vezes até uma má companhia vai bem. Menina seus seios azuis são fartos e belos tu és divina.Qualquer hora desta pego um carro e vou viajar sem volta. Mas que volta e meia vamos dar. Vou é cantar no coral lá do Chico Triste mesmo porque todos estamos alegres.E nem um pouco tristes esqueçam as inimizades e as rivalidades elas só aumentam nosso carma e cadê nosso dharma, sem merecer não tem faça bem sem culpa e não faça o mal....Ela de saias em minha frente , meus olhos não se cansam de vela.... Não para de cantar as novas canções que estão no cd Versos Sanguíneos.O que ainda não fiz? Não plantei árvore nenhuma e não tive filhos e mesmo assim sou feliz....Quem sabe planto as árvores os filho só Deus SABE. Quero mesmo é uma musa uma bela musa...Para ver o mundo com outros olhos...mas olhos sedentos de mar , amarelo manga...Quero sair nu pela praia Dançando cirandas em festa...Mas que festa....João Carlos
Faria
www.cidadedaspalavras.com.br

quinta-feira, 3 de maio de 2007

पोएसिया urbana

Poesia UrbanaJoca FariaLetras muitas letras nesta verdadeira cidade das palavras...Sim somos uma cidade industrial, mas também temos nossa poesia de cada dia.E vem surgindo novos nomes como o povo da Confraria dos Artistas que já tem a té sede lá no Satélite.Tendo realizados mostras poéticas, como agora tem a do poeta Moraes com seus cartazes...E assim é nossa gente sem muito apoio oficial vai realizando-se uma vida cultural intensa...Que muitas vezes não nos dá tempo para acompanhar tudo. Pois este tudo são sarais-nos mais variados Bares, tenho ido ao Sarau do Funil.Blogs contando a historia cultural da cidade, Jornais como O grito e assim por diante tem até feiras de arte surgindo lá na Vila Industrial aos sábados e quem esta expondo lá nada mais nada menos que o novo talento das artes plásticas Davi Fernandes de Faria com suas paisagens esotéricas.Numa velocidade grande de criação este artista esta fazendo retratos , desenhos e muito mais vão lá e confiram de perto este novo talento da pintura nacional.Que surge como grande simplicidade é assim Davi que irá fazer um retrato de Lula para a Nação Abdalina.Faça você mesmo sua arte, pinte e borde , faça poesia, música aprenda nas oficinas dos espaçosculturais nos bairros da cidade a arte nos libera desta Kaos cotidiano vá faça sua parte para este nosso belo quadro social como diria o mestre Raul Seixas...João Carlos Faria

नोस Passarinhos

Nos passarinhosJoca FariaCom que velocidade as coisas vem acontecendo neste dia contemporâneos tudo acontece em minutos ás semanas passam os dias passam e nos passe remos sem sermos passarinhos.A vida vai escapando por nossas mãos sem nenhum ressentimento sem nenhum pressentimento.Já tentei e já fui hedonista sem saber. E agora sei , mas nunca temos o controle de tudo em nossas pequenas mãos.Nossa vida não é nossa. Nossa vida profissional caminha sem direção só seguimos as exigências do mercado.E que mercado é este que nos escraviza nos exige tudo a postura, o corte de cabelo as roupas que devemos usar.Não somos donos nem de nossa identidade. Somos copias XEROX de outras pessoas numa completa falta de identidade. Retiro o que o poeta disse nem passarinhos são.Gosto dos adolescentes eles tentam ser eles mesmo estes buscam por isso talvez todos adi miramos Edu Planchez por ser um espécime de Peter Pan.Em dias modernos ou até um Caetano fora de época. Mas meus caros senhores e senhoras comportados porque criamos este mundo de gente infeliz.Que vota sem saber, que não pensa. Que repugna a política.Somos otários tentando dar uma de espertos.Até quando envelhecermos? E sairmos por ai a desfilar nossas mentiras do que nunca conseguimos ser realmente.Afinal quem realmente somos nesta multidão de egos. Onde esta escondida nosso real ser.AFINAL nem tudo cabe em nosso quintal, quantas cabeças teríamos que ter? Para tirar as pedras e limpar nossos corações.Não sei só sei que procuro e dou voltas e mais voltas em torno de meu grande rabo.Será que sou um projeto de homem.Afinal quem realmente somos. Luz luz para luz quero sair desta caverna.Sócrates , Sócrates onde esta você após beber a Sicuta.Não deixastes nem um gole para mim.Quem não somos talvez seja a pergunta que deveríamos fazer?João Carlos Fariawww.cidadedaspalavras.com.br