Seguidores

terça-feira, 27 de fevereiro de 2007

Por uma editora publica

POR UMA EDITORA PUBLICA

Joca Faria

A atual conjuntura econômica e política de nossos Pais e região vêm colaborar para que se criem editoras publicas em fundações, prefeituras em governos em geral.
Acredito que a atual linha de se criar ongs e ocips e importante para estruturação e organização dos movimentos sociais.
Mas o Estado como primeiro setor não pode fugir as suas responsabilidades sociais e culturais.
Porque então cidades como São José dos Campos com sua renomada Fundação Cultural
Não cria uma editora publica
Com critérios óbvios de seleção das obras. Mas de uma MANEIRA democrática e participativa no processo de escolha das obras a serem editadas.
Leis de incentivo fiscal não transferem a responsabilidade pela construção cultural de nossas comunidades.
Editores particulares que só visam o interesse financeiro, nunca ousariam lançar novos autores. Pois é um grande risco e não há transparência em que obras excluídas sejam de
Irrelevância para o pensar nacional.
São José investe em dança, teatro, musica clássica. Mas a literatura bem viva de escritores, poetas, ensaístas, produções acadêmicas e de caráter histórico não tem nenhum espaço.
Tenho certeza que Monteiro Lobato, Cassiano Ricardo se vivos estivessem apoiariam uma idéia desta.
Onde está o Codivap, Secretaria de Cultura do Estado, Ministério da Cultura.
Nossos representantes nas assembléias legistivas a cultura não pode ser tratada enquanto perfumaria. Ela é parte de nos seres humanos.
A literatura Vale paraibana já produziu grandes nomes e a literatura contemporânea também tem que ter sua chance.
Não podemos privar escritores de publicação de suas obras somente pela questão econômica ou ausência de apadrinhamento.
Nossa identidade esta posta em obras inéditas e também na recuperação de autores regionais de nosso passado.
Então lanço esta idéia e aguardo retornos com mais idéias e aperfeiçoamento desta idéia.
Só não vence quem não se esforça.

João Carlos Faria

Grupo Cidade das Palavras

www.cidadedaspalavras.com.br


. Encontro Literário

CIDADE DAS PALAVRAS

Sábado dia 10 de Março de 2007
As 10 da Manhã.
Câmara Municipal de São José dos Campos

Palestra :A necessidade de uma editora publica no
Vale do Paraíba.
Palestrante Joca Faria

Grupo Cidade das Palavras

www.cidadedaspalavras.com.br

segunda-feira, 26 de fevereiro de 2007

Encontro Literário

Encontro Literário

CIDADE DAS PALAVRAS

Sábado dia 10 de Março de 2007
As 10 da Manhã.
Câmara Municipal de São José dos Campos

Palestra :A necessidade de uma editora publica no
Vale do Paraíba.
Palestrante Joca Faria

Grupo Cidade das Palavras

www.cidadedaspalavras.com.br

Santa Ironia

Santa Ironia

Joca Faria

Hoje caminho por esta cidade. Na rotina de sempre junto com Raul Seixas e suas belas composições.
Subindo e descendo elevadores, encontrando-me com amigos e nunca dizendo nada de
tão importante. O Sr. D disse que eu não posso fazer faculdade de letras, pois diz que não sei explicar nada e que ando lendo Carlos Castanheda e não o expliquei corretamente ,mas é ironia pura ironia chamei Peiote de Papoula.
É TUDO flor mesmo. Estivemos com o grande magnífico ABDA Almirez 1.
Por trás de sua mesa. Ele nos falou que a natureza ele curte mesmo é pelo computador através da tela. Santa ironia destilada por uma só pessoa.
Finalmente alguém que diz o que pensa.
Em tempos modernos ninguém diz o que pensa, TODOS leram estes manuais de auto ajuda e são robôs manipulados por si mesmo grandes bonecos seguindo um padrão de falar, um jeito de agir numa grande falsidade.
Dentro deste padrão imposto por nossa sociedade.
Passei pela Rua Quinze de Novembro e estava lá o PT protestando quanto ao preço abusivo do ônibus em São José dos Campos sempre as mesmas pessoas com os mesmos discursos e nada de novo acontece. Vivemos uma triste rotina medíocre, a não ser quando uma amiga passa pelo vidro e te dá um belo sorriso.
Ai vejo que tudo é novo que há magia em viver. Afinal de onde viemos e para onde vamos?
Nunca nos respondem, mas podem achar respostas lendo Samael Aun Weor, Carlos Castanheda e tantos outros que passaram por este pequeno planeta.
Recentemente li o Evangelho de Judas é magnífico saber sem nunca saber.
Nunca vi um disco voador, mas sei que existe.Nunca vi Jesus Em meu Computador como fala Daniela Penelluppi em seus poemas no cd Versos Sanguíneos.
MAS acredito em duendes, em fadas e na cigarra Joana. Gente nunca usei maconha ou
outra droga qualquer.Prefiro ler livros e conversar com amigos.
Sentir a vida fluir num Carnaval em Paraibuna trabalhando de segurança.
O mundo é o que vemos e também o que não vemos.Estamos presos a esta tridimensionalidade.
E cabe a nos individualmente encontrar a saída?
Mas onde está a SAIDA?
Que saída? Tudo acontece em meu quintal?
Quem somos? Prefiro uma caminha pelo Turvo .
A curtir uma cachoeira pelo computador.
Estou saindo vou ver o Por do Sol do Banhado.
Beijos.


João Carlos Faria

www.cidadedaspalavras.com.br

www.jocafaria.cidadedaspalavras.com.br

quinta-feira, 15 de fevereiro de 2007

Neste lado dos tropicos

Neste lado dos tropicos

Joca Faria

Céu azul numa quarta-feira que ainda não é de cinzas.
O dia esta quente.Neste lado dos trópicos, a Serra da Mantiqueira
lindamente azul.
Caminho pela cidade a procura de mim mesmo, onde realmente estou?
Quem sou? Busco minhas respostas em velhos textos que ainda resistem em um velho blog.
Pena que vou perdelos talvez nunca farão parte de um livro pois não os tenho em arquivo.
Fazem parte de minha necessidade de escrever. Descubro que escrever não é uma tola vaidade. E sim uma necessidade de existir e resistir. Nos poetas somos totalmente ingênuos. Mesmo nos achando espertos. Sempre temos uma visão romântica da vida.
Gosto de ler horóscopos de jornais sempre há um tapa na cara.
Ontem fui a um Sarau no Bar Funil em São José dos Campos foi muito bom estava bem acompanhado de minha amiga Bete Souza.
Vimos uma bela adolescentes falando suas poesias achei maravilhoso e disfarcei minhas emoções.
A poesia é algo maravilhosa ela mostra nossa alma. Não conseguimos nos esconder atrás de nossas linhas.
Tenho observado isto ao ouvir o cd inédito Versos Sanguíneos que logo estreará no sitio Cidade das Palavras.
Ver e ouvir os poetas Joseenses despidos em seus poemas que maravilhosa nudez destas almas.Mais de quinze pessoas se colocando a disposição do resto da Humanidade mostrando suas dores, seus amores e amarguras.
Disponíveis num sitio para quem quiser ouvir. A poesia joseense merece uma editora temos que construir este sonho transforma-lo em realidade.
Como já é real o Jornal O Grito de Maira Luporini.
Acredito que precisamos de mais jornais, mais saraus como os que acontecem no espaço Chico Triste e Novo Horizonte.
E agora no espaço do grupo Confraria dos Artistas lá no Satélite.
Assim constribuinos para a superação deste marasmo cultural de nosso Vale do Paraíba.
Necessitamos viver plenamente precisamos de trabalho, dignidade e um presente de realizações e um futuro de glorias.
Com filosofia e artes, Porque não voltamos a Praça Afonso Pena nos sábados para reativar nossos grupos de filosofia?
Basta acreditarmos e venceremos nossas adversidades e chegaremos a felicidade.
Viver e sentir alem dos cinco sentidos.

João Carlos Faria

Grupo Cidade das Palavras

www.cidadedaspalavras.com.br

www.jocafaria.cidadedaspalavras.com.br

Convite

Olá .vou tocar nesta quinta-feira dia 15 /02 no novo espaço cultural da cidade que se chama " Confraria de Artístas" que fica
na av cidade jardim ,1759 no jardim satélite.
Na pista bairro/ centro, próximo à polícia militar.
Horário a partir das 20h.
Vamos todos prá conhecer.

um abraço , te espero lá.

Eduardo Rennó

terça-feira, 13 de fevereiro de 2007

AGENDA 21?

Agenda 21?

Joca Faria


O que escrever as vésperas de um feriado de carnaval ?
Tantas coisas principalmente a crise que se avizinha na questão ambiental.
O que estamos fazendo com nosso planeta em nome do progresso?
Em nome de nosso conforto urbano. Mas conforto de quem se uma maioria de habitantes do planeta Terra vive abaixo da linha de pobreza.
E enquanto isso ficamos nos debatendo em reuniões políticas que nunca chegam a lugar nenhum. Talvez porque não saibamos ser práticos.
E só sabemos sempre é reclamar. Reclamamos e nunca apresentamos soluções viáveis.
A agenda 21 esta ai a mais de quinze anos. Vamos APRENDER a pescar e buscar sua aplicação em nossos municípios e regiões.
Já temos um esboço de como agir e nunca agimos. Porque estamos paralisados em partidos políticos, associações, sindicato. Porque nos seres humanos nos acusamos uns aos outros.
Têm-se a chance de mudar nossos destinos pessoal e coletivamente.
De agora em diante carregarei esta bandeira da Agenda 21.
Vamos tentar contribuir um pouco para que nossas vidas tenham um sentido além deste
mero consumismo em que estamos aprisionados.

João Carlos Faria

Grupo Cidade das Palavras

www.cidadedaspalavras.com.br

terça-feira, 6 de fevereiro de 2007

Canta Caetano

CANTA CAETANO

joca Faria

Menino do Rio
o Arrepio canta
caetano...
Canta...
Em sua voz , seu jeito...de ETERNO MOLEQUE
NO YOTUBE..na nova musica fora de toda ordem.na NOVA canção de ALE FREITAS...
No kaos virtual em endereços...
perdidos
Canta Caetano nossa música canta poetas
de Versos Sanguíneos
Cantai todos cantai a esperança
canta canta e encantos.
Menino da Bahia....
da ancestralidade....
CATIVA DA NOVA MUSICA....

João Carlos Faria

www.cidadedaspalavras.com.br

www.jocafaria.cidadedaspalavras.com.br