Seguidores

terça-feira, 30 de janeiro de 2007

Valedoparaiba

O Vale do Paraíba no ponto de vista de um ser Valeparaibano...

Dedicado a Nilton Blau.

Joca Faria

Manhã numa manhã de uma sexta-feira qualquer volto aos meus escritos após ler os jornais do dia e a revista semanal.
Faz calor converso com o cavaleiro Jorge Pessoto sobre o ser cidadão Valeparaibano para ele nos somos uma mistura entre o trabalho e o ócio.
Enfim estamos num meio termo entre o Rio e São Paulo.
Bela idéia esta para registrar em meus textos não podia deixa-la se perder.
O que é nossa identidade Valeparaibana o que é esta maravilhosa Serra da Mantiqueira avista-da num fim de tarde de uma linha de produção da General Motors reflete em nosso agir.
Esta imponente Serra retratada por Guimarães Rosa num dos contos do livro Sagarana.
Venho por muito tempo sendo influenciado pelo ócio e agora começo a descobrir o real prazer do trabalho.
O espírito empreendedor me toca.
Só com o trabalho podemos chegar ao criativo ócio tão necessário para sentir um por do sol no Banhado.
E criar e ter novas idéias entender nossa natureza Valeparaibana e entender a nos próprios.
Pena que a educação não reflita as culturas regionais que juntas formam uma cultura nacional.
Qual é nosso sotaque? ele esta refletido em nossas rádios tv e jornais.
Nossa música não tem espaço dias destes vi Nilton Blau no Yotube ali se vê nosso Vale nossos hábitos.
Porque não temos editoras e gravadoras, rádios e TV refletindo nosso Balaio Cultural.
Falta empreendedores em nossa cultura regional?
Tom Jobim reflete o Rio de Janeiro por isso ele é universal.
Agora compriendo as queixas do jornalista Ricardo Faria sejamos nos mesmos sejamos Valeparaibanos.

João Carlos Faria

www.jocafaria.cidadedaspalavras.com.br

www.cidadedaspalavras.com.br

Ser

Ser

Joca Faria

Não ser ou ser será que somos verdadeiramente de nosso tempo?
Então porque nos anos noventa me identificava com o movimento hippie.
Quem somos verdadeiramente?
No orkut me vendia como o homem nu, E fui delatado por minhas fotos de nudez.
Porque temos uma sociedade com uma moral duvidosa.Porque a nudez é encarada como uma imoralidade?
Na internet criamos uma nova identidade somos geralmente cidadãos perfeitos.
Não vejo nada de mais na transa gravada com a modelo Daniela Cicareli e sim vejo como uma bela poesia de vida. O sexo como ele é de verdade com tesão amor e carinho.
Estamos nus nos dias de hoje, num grande Big Brhoter.
Sendo desvelados. Nem a morte nos é poupada como a de Sadam Hussein.
O que este mundo virtual nos afeta? Estamos todos juntos, mas completamente longe um dos outros.
Ou cada vez mais pertos?
Na internet encontrei uma bela estilista que cria moda. E a chance de criar um novo padrão de vestimentas masculina.
Sair destes limites impostos a nos seres humanos do sexo masculino.
A toda esta moralidade e pré-conceitos. Porque não ousarmos.
Acabo de ler um conto de Jorge Pessoto onde um homem faz uma viagem a temporal.Belo conto deste autor.
Tudo pode nascer e ser criado basta termos imaginação e ir além do horizonte.
Não podemos desconfiar de nossa liberdade. De nossa ousadia.
Sejamos os criadores de uma nova civilização baseada no ser.

João Carlos Faria

Grupo Cidade das Palavras

www.cidadedaspalavras.com.br

www.jocafaria.cidadedaspalavras.com.br

quarta-feira, 24 de janeiro de 2007

beijo

beijo

Joca Faria

Minha língua enroscada em sua língua.Nossos sexos se desejando.
NOSSA mente entrando em sintonia.
O abismo sem ponte.
Sexo sem corpo.
Corpos num amar.
Em silencio num profundo silencio em algum canto de meu quarto.
Vejo pássaros voando....perdido em você. Fêmea nunca fatal...Sempre em desejo....almas famintas de existir...resistindo a suas 108 chances.
Não existir não faz sentido.
QUERO te penetrar até a profundeza de seu abismo...
sou e não existo...
Quero não ser, não resito a dor de ser.
QUEM me liga? neste mundo ilusório nessa ausência
de fé.
Não sei não sei não sei rezar.
NUNCA ACREDITEI EM deus.
AGORA não passo de um corpo em busca de uma alma.
preciso aprender a orar.
sem nenhum pré-conceito.
sou quase ateu. sem nenhuma mística.
buscando um novo saber.
buscando não ser.
beijo teu corpo tentando desvendar sua alma.

João CARLOS faria

www.cidadedaspalavras.com.br

www.jocafaria.cidadedaspalavras.com.br