Seguidores

segunda-feira, 31 de julho de 2006

Cidade das Palavras

Projeto Cidade das Palavras

Cidade das palavras é um projeto literário que nasceu há quatro anos apartir da idéia de se utilizar um novo suporte para a palavra falada eescrita neste novo milênio. Foi quando contatamos poetas do Vale doParaíba, e gravamos dois CDs: República das Letras e Cidade das Palavras,que mostram a diversidade criativa em nossa cidade e região. A gravação, dealta qualidade técnica, foi feita pelos próprios poetas nos estúdios daFundação Cultural Cassiano Ricardo e recebeu trilha sonora especialmentecomposta por Bebeco Russo, Gabriel Russo e Gilvan Tadeu. Na ocasião foitambém produzido um documentário, de todo o making off ,por João Nicolau.Esse trabalho pode ser acessado e copiado através do site.www.cidadedaspalavras.com.br. Nesse endereço virtual existem links, blogs, eforuns de discussão que incentivam a divulgação da poesia digital, viaInternet. Em nossas planos, a curto prazo, está a produção de novos CDs depoesia e musica alternativa em maior escala, bem como a criação de uma ONGeditora que viabilize a publicação das obras dos talentosos escritoresValeparaibanos, que encontram sérias dificuldades em colocar no mercadoeditorial seus livros. Nas primeiras edições de CDs podem ser apreciadospoemas criados e gravados por Bebeco e Gabriel Russo; Mirtes Mazza Mazieiro;Marcelo Planchez; Joca Faria; Carlos Alberto Cândia; Daniela Peneluppi;Flanklim M.; Braga Barros; Simões; Zé Mira; Ludmila Saharovsky; Nadir JacobCury; Juracy Ribeiro; José Moraes; Renato Ramoore; Marcela Puppio eGeraldine Matha entre outros.Entrem, ouçam, copiem e apreciem nossa Cidade das Palavras
Produtores: Marcelo Planchez e Joca Faria
Making off: João NicolauTrilha sonora: Bebeco Russo, Gabriel Russo e GilvanTadeuEstúdio de gravação : Fundação Cultural Cassiano RicardoMasterização e mixagem: Wilson Rafael
.Contato : tel: 012 - 39296879Email :

joca@cidadedaspalavras.com.br,marcelo@cidadedaspalavras.com.br

Www.Cidadedaspalavras.Com.br

quarta-feira, 26 de julho de 2006

Patética Cidade

Patética Cidade

Dedicado a São José Dos Campos, Vale do Paraíba, São Paulo, Brasil

Joca Faria

Cidade uma cidade duas cidades três cidades.Nascem sonhos e morrem gente em banheiros de bares vazios.
Na tarde barulhenta de uma avenida. Corpos queimados em casa. Noites insanas.
Tudo é mentira de um estado patético. Políticos mentem até entre eles mesmos.
Os hospitais privatizados em nome da grande deficiência.
O estado furta-se as suas obrigações.
Passeatas de sem tetos, cruzam viadutos na Cidade dividida por vinte um feudos nas câmaras municipais.
Homens de partidos se divertem em restaurantes na Dutra enquanto outros chupam os sexos de seu motorista de mesmo sexo.
Todos eles moralistas na tribuna na hora de discursar no horário burroral.
Pensam que nós do povo somos otários e morrem de medo de invasões no congresso.
Estamos à beira de uma guerra civil e eles a comerem e fartarem se em churrascarias.
Esta é a sua a minha a nossa querida e maltratada São José Dos Campos.
E nos do povo sempre pagando imposto carregando o Estado nas costas.
Enquanto quatrocentos Andiras divertem se balançando e usando a rede mundial em seus gabinetes.
Pendurados num grande cabide.
Até quando? Até quando?

João Carlos Faria

Noites Vaginais

Noites Vaginais

Joca Faria

Pernas abertas na intrincada arte de amar, cabelos soltos, corpo delicado ela ama como nunca.
Sua liberdade e grande seus desejos são de conquistar o mundo.
Mas vive presa a um mundo real um mundo ultra-real.
Desejos impacientes de conhecer o mundo mas vive cercada da mediocridade social.
Nunca chega ao fato agora às pernas bem abertas em poses sensuais para todo o mundinho virtual apreciar seu corpo.
Deseja lá e nunca tela.

João Carlos Faria





Pena presidente nacional do partido verde, Claude Mary secretaria de governo de São José Dos Campos, Marcelo Ortz deputado ferderal pv SÃO Paulo , Joca Faria escritor.

E HORA DE MUDANÇAS

E hora de mudanças

Nestas noites em que tememos sair das nossas casas, noites de medo no Oriente Médio. Joca
Faria (*) Homens que estamos doentes com a civilização em ruínas. Deixamos nos corromper pelas mesmas trinta moedas. Calamos diante deste estado autoritário com essa linha de exclusão social. É preciso encontrar as boas pessoas que restam neste mundo e lutar pelas mudanças.Não há mais os ismos do século XX, temos que construir uma nova sociedade sobre essa que já morreu e fede insepulta.
Máfias e mais máfias em nosso Congresso, o Estado deDireito perdeu a força em São Paulo depois de doze anos de um governo fraco comandado por truculentos covardes que agora choram de medo do Marcola. Que não soube, não quis é o mais certo, impor a Lei na administração dos presídios.
Sucateou a educação, falhou na habitação, desdenhou a saúde, o saneamento e vai pagar com a vida dos nossos filhos pela corrupção e a incompetência. Malditos sejam esses ladrões abandonados pelas próprias mães nas latas de lixo da vida que somente o mal podem oferecer.
Que viva Luiza Helena, Luiz Inácio Lula da Silva. Vivam as propostas que objetivem o bem estar coletivo e a transformação real de nossa sociedade. Abaixo a mediocridade do tucanato e a sua perversa mentira que serve apenas para agregar as aves de mau agouro ávidas de bons salários na máquina pública as custas do contribuinte.
Distantes do povo, dão vazão as suas inquietudes, neuroses e vícios de fumar, beber e cheirar entre abraços homosexuais tarados quase sempre imersos na lama.
A nação que aspiramos dispensa essa gente viciada e exige direitos iguais, educação e trabalho. É chegada a hora de nos livrarmos dos bastardos nascidos nas latas de lixo, chopins das nossas almas e esperança.

(*) João Carlos Faria - jocafaria@yahoo.com.br - http://www.cidadedaspalavras.com.br/ - http://jocafaria.blogspot.com/ http://www.arautos.digitalvale.com.br/ -

quarta-feira, 19 de julho de 2006

Joca Faria-João Carlos Faria





Joca Faria João Carlos Faria

E HORA DE MUDANÇAS

E hora de mudanças

Joca Faria

Nestas noites que tememos sair de nossas casas, nestas noites de medo no oriente médio.
Nos homens estamos doentes muito doentes nossa civilização esta em ruína. Deixamos nos corromper somente pela suposição de ganharmos trinta moedas.
Ficamos calados diante deste estado autoritário desta linha de exclusão social.
Temos que procurar as boas pessoas que restam neste mundo e lutar para mudar tudo.
Não há mais os ismos do século xx temos que construir uma nova sociedade. Esta já morreu faltanos enterrar seu cadáver.
Máfias e mais máfias em nosso congresso, o estado de direito perde força em São Paulo.
Um governo que há doze anos e fraco não sabe impor a lei e a ordem nos presídios.Um governo que sucateou a educação.
E agora vem falar em cultura no seu programa de governo nacional.
Que viva Luiza Helena, Luiz Inácio Lula da Silva.
Que tem propostas coletivas e de transformação real de nossa sociedade.
Abaixo a mediocridade do reino do tucanato e sua perversa austeridade, burrocratas imersos em lama distantes do povo em seus gabinetes.
Precisamos construir uma nação coletiva onde todos tenham seus espaço e seu direito a trabalho, educação, cultura e muito mais.

João Carlos Faria
Num passado remoto

Foi ao longe no desertoDe emocoes incertas.Insano oficio de sacerdotes.De religioes a muito desaparecida.Para se plantar era necessariofazer amor nos campos.As sacerdotisas escolhiam oshomens mais viris da tribo.Nos os magos escolhiamos as guerreiras.Que conseguiam passar pelo ritual dalua cheia.A Deusa e o Deus se encontravam apos o fim do inverno.Tudo isso acontecia nas Americas antes da queda do imperio doGrande Senior do mundo.Hoje impera o veu e os mundosse separaram .Mas esta chegando o momentodo novo encontro .Deus e a Deusa novamente ,O misterio se revela ao olhar do sabio.

Joca Faria

Do livro Retina que esta em fase de revisão.
Coracao de pedraUm dia deste encontrei a lua numa , praia deserta achorar.E em seu pranto confessou me que os homens estao vazios e seus coracoes tornaram se pedras.Disse me que o odio esta matando a esperanca .Que o verdadeiro saber empoira se dentro do propriohomem.E por isso transformou se o coracao em pedra.Eles ja nao mais compriende os sinais divinos.E matam se e guerrreiam por simples moedas de ouro.A lua confessou me que sente saudade de um antigohomem que comprieendia os sinais e assim filosofavae amava em todas as noites.Estes homems deicharam o ouro e o poder contaminalose hoje vivem so . Nao mais acreditando no semelhante.E por isso o egoismo reina soberano . Mas somenteo amor pode fazer a alquimia da pedra ,tornar se ouro.

Joca Faria

Do livro Retina que esta em fase de revisão.

sexta-feira, 14 de julho de 2006

som

SOM

Joca Faria

Ouvindo um violão sendo tocado, musicas bem brasileiras no violão de Marcio Oliveira.Em escalas flamejantes como se fossem os dedos dos Deuses, mas são dedos humanos.Provando que nos seres humanos ainda temos uma chance enquanto existir a arte.Esta arte esta vida de cultura.Onde nos elevamos aos céus e muitas vezes descemos aos infernos. Em busca do que ainda não somos.Mas o que devemos descobrir? Neste nosso infinito circular nesta roda. Nesta grande roda gigante.O mundo não e só os livros os escritos como diria Marcelo Planchez a algo além do Príncipe de Maquiavel. Que não esta escrito nos tratados de política a um corpo a corpo que só se aprende com o passar do tempo.A musica que nos faz sentir a presença divina em nosso ser.O ritimo alucinante.Pois e Marcio Oliveira foi ministrar suas aulas ensinar os segredos indecifráveis do saber musical.E aqui fico eu imaginando aquele belo som que este registrado no universo.Eu em diversos versos deixo este texto para tentar ouvir asMusicas das esferas.

João Carlos Faria
Desejos
Joca Faria
Beijo um beijo no caminho, no êxtase profano de sexos de anjos caídos.Na noite em avenidas movimentadas no silencio. Ela corre em desespero. Calada diante do kaos que acabara de ver.Uma fenda se abre e diante de seu silencio.Elas surgem vindas de um tempo perdido.E num segundo qualquer a lua torna se vermelha.E ela chega em sua casa entra sem olhar para trás.
João Carlos Faria

uma guerrilha civil?

Uma guerrilha civil?

Joca Faria

Hoje uma quarta-feira qualquer onde ônibus, supermercados e pessoas são incendiados.Onde um caminhão atravessa a marginal do Tiete em chamas.O terror faz parte de nosso cotidiano. Onde podemos ter a tranqüilidade?Necessária ao nosso dia a dia? Estamos reféns do ódio das prisões. Vulneráveis em ruas em pontos de ônibus, ninguém sabe onde será atacado.E políticos preocupados com suas eleições.Os jogos estão voltando nesta quarta-feira e tudo continuará do mesmo jeito?Homens das leis morrendo, o povo correndo risco.E o medotoma conta das ruas.Onde estão nossos governos que não se entendem. Não e um caso de eleição e sim de guerra civil não declarada, Uma guerra surgida aos poucos por causa da ma distribuição de renda.De uma gente de corpos e almas perdidas o que nos cidadãos podemos fazer para mudar esta desordem?No momento e cobrar das autoridades e nas eleições e votarmos corretamente.Mas e agora alem de ficarmos presos em nossas residências, vendo os homens da lei tombarem.Diante de assassinos que saem das sombras.


João Carlos Faria

sexta-feira, 7 de julho de 2006

Metrópoles

Metrópoles

ao retorno de DanielLa Peneluppi
Joca Faria

O mundo gira em imensos segundos as tempestades acontecem em minha CABEÇA assisto ao programa Metrópoles na TV cultura.Cacos de vidros quebrados a beira do pé da artista, Vejo me naquele meio em meio ao risco da dor.A prisão corporal aprisiona nosso ser.O QUE E A ARTE CONTEMPORÂNEA AS VEZES SINTO ME MENTALMENTE NO SÉCULO XVII.Será que realmente entendemos a arte conceitual eu não a entendo sinto a parte de minha alma.Parte de minha criação o tempo passa como um furacão.E o vemos escorrer pelos dedos diante da televisão.Suo parado vendo noites chegarem.Quem somos nos?Nesta ilusória comteporaniedade?Mulheres e Homens perdidos em mundos ilusórios.Efêmeros como a súbita chegada da morte.Existir e viver.

João Carlos Faria

Joca Faria



João Carlos Faria
joão carlos faria
joca faria

quinta-feira, 6 de julho de 2006

Nossa cidade?

Nossa cidade?

Por Joca Faria

Que cidade e esta onde os governantes andam cercados de segurança e não toleram as criticas populares.Onde tem varias lideranças fechadas num jogo só de poder, Onde os partidos políticos têm caciques e não deixam surgir novas lideranças.Esta cidade e São José dos Campos e nossa mesmo? Onde Andiras –morcegos- ganham quatro mil reais por mês sem nada retribuir para o povo.Uma cidade que tem uma câmara vendida totalmente e os três da oposição parecem os três patetas de tão incompetentes que são.Talvez ela reflita nosso congresso que durante as eleições só trabalharão três vezes em três meses.Por isso me lanço como pré-candidato a prefeito pelo Partido Verde quero ser prefeito de São José.Quero juntar pessoas honesta na política e mudar a cara desta cidade, mas ,por favor, não me deixem tentar posso ser um embrião de um grande sacana.Então o que podemos fazer para mudar a cara da Cidade do Pais? Trabalhar para a democracia e o coletivismos crescer trabalhar pela organização da sociedade.Nunca desistir e não ter medo de acreditar em novas idéias.Somos humanos erramos ,mas aprendemos.Busquemos nossa liberdade e cresçamos internamente para depois mudar o que esta fora.A Cidade é nossa façamos nossa parte.
João Carlos Faria

www.cidadedaspalavras.com.br


http://jocafaria.blogspot.com/

Onde?

ONDE?

Por Joca Faria

Começar sempre do zero do infinito nesta luta por um lugar ao Sol. Todos queremos um lugar ao Sol e nos submetemos a inimagináveis torturas psicológicas em nosso trabalho em nossa vida social.Porque usamos tantas mascaras? Somos bem mascarados quem e nosso eu verdadeiro?Não sei busco a revelação de quem sou? A beira de meus quarenta anos. Talvez morrerei sem me despir das mascaras, das fantasias.Que destino e este que temos somos escravos de nosso ego onde esta nossa verdadeira essência?Buscar em muitas religiões, em varias filosofias, passar por partidos políticos e ongs.E nada encontrar ser fraco e perdedor é terrível.Temos que ser Guerreiros enfrentar nossos demônios vencer esta luta sem nenhum maniqueísmo.Descobrir nossa essência sem nenhum medo, buscar uma ousada originariedade.Sermos combatentes ai encontraremos a luz.

João Carlos Faria

www.cidadedaspalavras.com.br

Delicias na cama sem Madona

Delicias na cama sem Madona

Por Joca Faria

Tava eu João Carlos Faria após chegar em casa depois da minha longa jornada de guerrilheiro cultural.Em minha cama após tomar um banho eu mesmo nu em minha cama envolto por um lençol.Quando comecei a pensar em varias mulheres.Todas em minha cama e comecei a me roçar e roçando me entrei em êxtase. Meu pênis ficou duro atingindo seu apogeu de quinze centímetros ai o vai e vem no lençol e mais um vai e vem tive um gozooo delicioso como nunca havia gozadooo.Sem sair uma gotinha daquele precioso liquido.Este e nosso tesão de cada dia peçamos a nossa mãe este tesão pagão.Que nos libertara da angustia capitalista somos livres homens e mulheres e não descobrimos que livres somos.O sexo traz nos a liberdade a liberdade vem com o sexo nosso gozo de cada dia.E nosso dever chegar a uma grande liberdade.Antes tarde do que nuncaaaaaaaaaaaaaaaaaaa.

João Carlos Faria

www.cidadedaspalavras.com.br