Seguidores

quinta-feira, 27 de abril de 2006

Vermelho Sangue

Vermelho Sangue

Joca Faria

Um grito de pavor numa tarde qualquer de um outono seco, Onde narizes queimam, saem deles sangues à vista turva.
Ela vai ao banheiro despe se, Liga o chuveiro e molha se para melhorar, Derrepente começa a se tocar em baixo do chuveiro ensaboa se em tesão, Toma a ducha desliga se enrola na toalha e
caminha em direção ao seu quarto.
Lá esta despida passa um creme delicadamente em todo seu corpo
treme de tesão deita se a tocar em sua vulva Vermelha lembrando dos momentos mais íntimos.
O celular toca e uma amiga que ela conta estar em tesão. Sua amiga conta mais historias, Ela pega uma câmara digital e tira fotos de sua total intimidade.
Sua vagina, Seus seios partes e mais partes de seu corpo sem mostrar o rosto abre aquele blog em que usa outra identidade e publica suas fotos.
Escreve um conto bem picante e troca mensagens com pessoas de todos os lugares.
O celular novamente toca e um amigo a convidando para sair quem
sabe vai realizar suas fantasias?

João Carlos Faria

Um comentário:

Larissa Marques disse...

Adorei o texto, seu estilo é diferente, mas isso pra mim é o máximo!