Seguidores

terça-feira, 25 de abril de 2006

Outono Amarelo

Outono Amarelo

Beijo a noite, Olho as Estrelas despontando e iluminando o céu de
outono amarelo.
Discos voadores não cruzam o céu na esquina da galáxia, Nem os vejos em minhas retinas tridimensionais, Faço fumaças como os Índios de milênios atrás esperando um contato.
Tocam se tambores um grupo de pessoas dançam nuas ao luar da
noite da Mantiqueira.
Mas envão nem um cotato com estes seres galácticos.
Beijo a noite, Olho as Estrelas despontando e iluminando o céu de
outono amarelo.
Esperaremos estes contatos para outras noites dançamos ao redor da cachoeira e entremos nela ao Raiar do Sol.
Fazemos um amor solitário entre pedras e águas cada um com seu par.
Descemos a montanha sagrada, para voltarmos a nossa doce realidade.
Quando deparamos com Discos Voadores cruzando o céu.Em plena
Via Dutra.
Entramos em êxtase paramos o carro, Naves brincam por entre nuvens ensolaradas e num picar de olhos desaparecem.

João Carlos Faria

Nenhum comentário: