Seguidores

terça-feira, 4 de abril de 2006

Edu Planchez

Edu Planchez

Es um poeta es um profeta vagueias pelas noites do Do Rio
de Janeiro a despejar sua poesia como jatos de esperma
numa fêmea desejosa.
Solver teu poema como mel em minha alma tua poesia escancara as portas das mediocridades institucionais
Vagabundo dos Vagabundos.
Poeta de alta estirpe na vagabundagem necessária a criação poética tu me estimula a criar a buscar o novo nesta urbanidade vazia de sentimentos.
Edupianamente Planchez carregas o verbo em meio a bolas de sabão a pós a chuva de verão.
Beijo tua alma indecente estou contigo de mãos dadas
em nossa irmandade azul.

Joca Faria


O PAU DURO CONTEMPLANDO O GRELO ENCARNADO
É UM RELÂMPAGO DEVASTADOR
(A porta se abre com a fúria do sopro sinfônico)

(à Maria Pintora Frida de São Luís )


Os casais adoecem de tanto brigar, inglória atitude,
impotência, morbidez injusta, cegueira, falta de tesão, pica inútil,
xereca vazia, caralho que nunca vê o sol,
buceta arreganhada para nada

Minha poesia adora ver a porra encandecente transbordar
o canal da vagina, o útero, o ventre, a boca, o anus
e escorrer sem parar pelas coxas gargantas
até o sul da criança rubi

Foder até a foda se tornar um livro de histórias
Foder até o fim das guerras idiotas

O pau duro contemplando o grelo encarnado
é um relâmpago devastador

Pablo Picaso dorme nu sobre a sombra das tintas
de suas mulheres toreadas
A lança que não fura o boi atravessa as bolhas
que se formam nas camadas tênues
da geométrica vontade

Rei e Rainhas brincando de brincar
diante da porta do templo da gestação

A porta se abre com a fúria do sopro sinfônico
A porta se abre para espalhar o pigmento
do fascínio ensurdecedor

(Edu Planchez)

http://7erros.blogspot.com/

jocafaria.blogspot.com
www.cidadedaspalavras.com.br

Nenhum comentário: