Seguidores

sexta-feira, 31 de março de 2006


Tarde Ociosa

Joca Faria

Outono dia escuro faz um frio sonolento e eu na tarde ociosa ouço
som de motores.
Minha cabeça dói, Minhas idéias hoje são poucas mas será que tão poucas assim?
Vejo um desenho que fiz bem abstrato que tem vários sentidos.
Mas qual sentido pode ter um desenho abstrato? Neste inicio de tarde assisti a mais um episodio de Xena e Gabriele em suas lutas e
glorias.
Também vi um belo grupo musical de mulheres em trajes criativos
e inovadores.
Não dei atenção para as crises políticas pois e um grande teatro uma arena pela disputa de poder.
E agora busco o saber.Voltarei a ler o livro Walt Whitman A Formação do Poeta de Paul Zweig.
Queria escrever hoje sobre sexo sobre o tesão mas não estou tão
excitado assim nesta quinta-feira as cinco da tarde.
Quem sabe amanha. Sempre temos o amanha e sempre tenho minha sinusite.
O que e o hoje? Dias destes esperando um amigo numa lan house falei
pare ele ao sair acaba de perder meia hora de sua importante vida.
Talvez devêssemos nos acostumar as vezes a não fazer nada pois de não fazer e que vem as melhores ideias
Hoje pretendo assistir a um filme por isso escrevo na tarde quem sabe ainda me venha um texto inspirado?
Vou me indo pois sempre estou.Beijos indescritíveis a todos
Que ousam me ler.

João Carlos Faria

WWW.CIDADEDASPALAVRAS.COM.BR

http://jocafaria.blogspot.com/

quinta-feira, 30 de março de 2006

UNIVERSO?

Universo?

Joca Faria

Universo quem somos nos neste universo? Quem somos nos seres Humanos? Hoje em Êxtase terminei de ler O Eremita de Lobsang
Rampa um grande e simples livro que toca nosso coração.
E sai a caminhar refletindo tudo o que somos.Neste planeta uma bela experiência uma semente de vida plantada pelos Jardineiros
Do Universo.
Fala de planetas habitados por seres tão avançados que mal conseguimos compreender contando esta saga antes ate de nossa
Terra existir.
Quem somos? Como diria Cazuza somos cobaias de Deus? Nossa
Pequena compreensão de quem nos criou numa eternidade.
Estou refletindo nossa pequenez diante das Estrelas habitadas não
Precisamos às vezes ver com nossos próprios olhos, mas sim com o
Coração sinto as verdades em meu ser.
Mas qual verdade as contidas em nossos livros sagrados? Ou contidas em nosso DNA em nosso ser maior.
A algo alem de nossa tola imaginação algo divino e real temos que abrir os olhos e ver alem das estrelas.

João Carlos Faria

VERACIDADE

Um olhar sobre o meio ambiente urbano.

Dedicado a Ivo Bay Miller,João Spinelli,Ruy Amaral,Jey.

E ai Mano e ai Mano tudo aconteceu numa noite estrelada de uma terça feira qualquer e tudo verdade.
Encontrei me com Ivo Bay Miller num delírio total com poemas variando a palavra Veracidade e tudo verdade.
Uma viagem pela absurda arte.Olhando as fotos e os vídeos em uma Vam EM movimento Mano.
Rodando nossa periferia nossa cidade descontrolada no Pinheirinho num grito de liberdade.
Ver a cidade, ver nossa cidade. Mas que cidade e esta? Que verdade se esconde por detrás das brigas ideológicas?
Verdade ver a cidade.Com olhos de uma câmera de Wallace Pousso, Washington Freitas e outros tantos de cada canto da Veracidade.
Uma cidade sem arte? Tem certeza Mano pense bem e veja nossa
Verdade? Mas que cidade e esta que faz divisa com Minas Gerais e
Ninguém sabe e São Jose Dos Campos ,mas quem matou os Alemães
Dos Campos?
Ninguém sabe Mano ninguém conta esta conta Mano?
Diz nosso amigo João Spinelli que devemos invadir a periferia com arte numa mão dupla numa dupla mão.
Pó então Mano vamo lá Mano vamo lá levar a verdade a ver a cidade.
Mas que Cidade se esconde lá? Mas onde lá vejam os Novos Horizontes, Putims, Campo dos Alemães, São Chico, Freitas e tantos outros nos grandes Campos de São Jose.
E verdade e viril e veracidade Mano.

João Carlos Faria

quarta-feira, 29 de março de 2006

terça-feira, 28 de março de 2006

Jardineiros do Universo

Joca Faria

Não nunca desistir insistir e tentar ir a frente estar num topo.
Eu não gosto de atender telefones, não gosto de celulares nada
que interrompa meus pensamentos faz um século que não escrevo
para mim escrever já e como respirar. Respiro e inspiro me como devorar paginas e mais paginas de um livro. Quando perco minha inspiração sinto me perdido no mundo e procuro
um livro para ler.
FAZ UMA SEMANA QUE NAO ESCREVO E ME PARECE UM SECULO.
Letras saem de minhA Escrita nebulosa sou poeta sim sou leitor e escritor de mim mesmo.
O cachorro me olha do sofá com a cara e um coração na boca.
Lembro me de LOBSANG RAMPA AGORA devoro o
Livro O EREMITA. Estou curioso a respeito do Budismo Tibetano quem sou?
Faz tempo que não leio Samael Aun Weor mas seus princípios rodeiam como crianças em volta de minha cabeça.
Nunca morei no sertão nunca fui ao sertão.Ainda não desbravei o Sertão de Guimarães Rosa mas e só questão
de ter um livro em minhas mãos.
Palavras palavras palavras escritas e nunca aborrecidas a literatura faz tanto parte de mim que quero desdobrarme para conhecer as bibliotecas celestiais.
Ainda não falei dos Jardineiros do Universo em outro textos lês conto.
Beijos incendiários em suas bocas não chupem balas de anifetalinas pensando ser balas de coco.
Vou me embora para o sertão vou atrás de bucetao.
Quando criança DIZIA que iria mas nunca tive a coragem de ir ao sertão.
Será que estão lá os jardineiros do Universo?

João Carlos Faria

HACHERS

Joca Faria

Grito silenciosamente grito em meu texto liberdade liberdade.
Toco meu sexo, toco meu desejo beijo lhe a boca faminta...
Como um vulcão em erupção saímos nus pelas ruas atrás de um ônibus corremos e entramos num carro e fugimos em alta
Velocidade deixando todos atônitos e nos amamos loucamente no
banco de tras.
Outros de nossa irmandade registram o acontecido e no mesmo momento transmitem para a internet em vários pontos do planeta.
Num outro dia corremos nus pelo calçadão movimentado de um lado da rua ao outro e entremos nuns carros e saímos em disparada
Novamente registrado por nossas câmeras e transmitido on line.
Isto se espalha por todo planeta como uma manifestação pacifica
Pela liberdade criamos manifestos que são repassados para todos
Por HACHERS.
Criando varias zonas autônomas temporárias e outros movimentos
Mais contínuo.

João Carlos Faria

segunda-feira, 27 de março de 2006

Sol da meia noite

Joca Faria

Quase meia noite e lá vai uma segunda-feira e outro dia se iniciara
e eu aqui a me despedir deste dia.
Vem ai uma manha e teremos nos um novo amanhecer?
Mas que amanhecer e este? Nossa solidão e grande estou resistindo há dias a meus egos.Será que continuarei a resistir?
Quem sou? Quem somos nos neste pequeno planeta que viaja em torno do Sol seremos um Universo inteiro num acender de um fósforo?
Seremos como universo em forma de bolas de gudes como no filme
Homens de preto?
Não sei de nada e sei que ainda não sou? Mas afinal quem sou?
Leio avidamente O livro A caverna dos Antigos de Lobsang Rampa
e surgem cada vez mais perguntas este e meu ano de leituras Lobsang Rampa estou aprendendo cada vez mais com este mestre.
Mas afinal tudo cabe em nosso quintal? Quantos livros cabem numa só cabeça? Mas que cabeça e esta que devora livros e mais livros tenho eu um amigo que dizia que a cada livro que ia lendo
rancava a pagina lida e o comia.
Então lê servia de alimento para a alma e o corpo.
Mas afinal porque estamos neste planeta que velocidade me faria ver o que acredito sem ver?
Estou cego busco luz onde encontrarei minha caverna secreta quando me encontrarei com meu real ser?

João Carlos Faria

segunda-feira, 20 de março de 2006

Via Dutra

Joca Faria

Hoje e hoje e sempre hoje.Não existe amanhã nem ontem e sempre
Hoje.
A ilusão encobre nossos poucos sentidos às vezes não me vejo.Quero viajar pelas galáxias.
Hoje que não e hoje.Sonhei estar em algum lugar de mar passeando em uma ilha me sentindo em outra dimensão me sentindo parte de uma historia estranha como a serie de TV Lost,
Mas fui acordado repentinamente e perdi o fio condutor desta historia.
Era tão presente aquele mar ali que que sentia o cheiro de mar que belo mar.
E logo estava num carro em alta velocidade pela Via
Dutra este carro em sentido ao contrario da mão passava por todos os veículos em sentido oposto em alta velocidade.
Sem nenhum choque derrepente percebi que estava em outro plano e novamente despertei me.
A vida e ilusão uma grande viagem afinal quem somos neste plano.
Continuo a ler Lobsang Rampa agora o livro A CAVERNA DOS ANTIGOS.
Tudo se mistura em minha mente o dia à noite o presente e o passado.
Não vejo futuro nenhum não sou nem um iluminado e sim alguém preso a um corpo fazendo uma grande descoberta em cada paço.
Neste imenso espaço.
Aqui termino este que não e o primeiro e se os Deuses deixarem não e o ultimo texto.
Afinal hoje e carnaval?

João Carlos Faria

Corpos

Joca Faria

Cheiro sinto meu cheiro a sair de meus poros acostumo me a sentir.
Quero teu corpo junto ao meu corpo. Dançarmos num baile de mascaras nos reconhecermos por nosso cheiro.
Sentir e viver um amor sem nenhum medo.
O tempo que temos e curto. A distancia já percorrida e longa.
Não devemos temer nossa sorte vamos em frente.
Sem nenhum temor o fêmea que me tens por inteiro.
Não devemos temer nada ir além de nossas poucas forças.
Desvendemos juntos o segredo do universo.
Tornemos nos um só ser em comunhão perfeita.

João Carlos Faria

sexta-feira, 17 de março de 2006

Cristo Redentor

Joca Faria

Ele de braços abertos no Rio de Janeiro, Ele de braços abertos em
Taubaté.
E nosso Planeta sempre com suas crises suas dores suas guerras.
Onde esta o Estado no Rio ou em qualquer parte das periferias de
nosso Brasil.
Vivemos sem nenhuma chance tantos nas periferias Brasileiras ou
Francesas.
Este Império do Mal manda no mundo econômico todo.E ainda não
aprendemos a enfrentá-lo.Não temos novas armas políticas as velhas armas e discursos estão ultrapassados.
Os dirigentes de partidos políticos estão defasados nada de novo
surge.
Precisamos de novas teorias e ações para este mundo pós 11 de Setembro.
Precisamos descobrir novas ações na economia solidária, aprender
a fortalecer as pequenas ações econômicas distribuir novas idéias
como e o programa LINUX.
As brigas eleitorais e partidárias estão ultrapassadas.
Devemos criar uma nova democracia que fortaleça o povo no conhecimento e no saber.
Agirmos mais com o Coração do que as razoes puramente econômicas.
Direita e esquerda já são conceitos ultrapassados como são as organizações partidárias.
Devemos investir no terceiro setor nas organizações sociais.
E não mais fortalecer este capitalismo corrosivo que já não mais
contribui com o avanço social de nossa humanidade.
Cristo esta de braços abertos mostrando que todos cabem num coração humano e pulsante de vida.

João Carlos Faria

quinta-feira, 16 de março de 2006

texto republicado

Bardo


Joca Faria


Desço as escadas andar por andar perdido correndo, procuro a verdade, mas encontro as meias verdades.
Procuro sentido onde não há sentido estou derretendo
Suando em bicas.
Quero ser um pássaro e voar ate o céu, e depois mergulhar no mais profundo oceano.
Crianças morrem de fome nas esquinas e pseudo-s poetas
Fazem seus poemas que não levam a lugar nenhum a um lugar comum tudo desaparecê num estante, não fico.
Em igrejas a fazer preces.
Tua revolta me comove estou em lágrimas por ler tuas
Belas palavras em língua de serpente teu canto me
Encanta, tua revolta e pura poesia você revolucionou
O que meu amigo? Fazemos revoluções em volta de nosso
Umbigo nada muda e tudo se transforma.
Não somos nada além de almas penadas a vagar pela terra.
Sem nada a dizer acho que na face da terra hoje já não há mais nenhum poeta de verdade, cadê os bardos.
Os cantadores me aponte uma real revolução tudo
E uma ilusão de homens adolescentes, estamos perdidos.
Sem nenhum caminho a seguir além de delirar e chorar
Um leite que nunca conseguimos derramar para mim não há nenhum passado só o presente que bardos somos
Se não atingimos ninguém para ser bardo e preciso
Descer aos infernos e voltar ileso.Não descemos
Nenhum degrau, para ser bardo temos que ter um
Caráter, mas somos Macunaímas.
E ai meu amigo palavras São palavras cantadas em suas canções sem sentido.
Respeito-te, mas tu exageras em viver como um betinic em pleno século xxi talvez daqui uns vinte anos chegue à tropicália, somos canalhas mesmo querendo.
Dar o recado, mas que recado podemos dar se não temos nenhum conteúdo.Pois quero que me apresente um poeta
De verdade, pois ate agora não conheci nenhum.
Somente homens fracassados foram me apresentados não
Excluo-me sou todo fracasso no auge de meus trinta
E cinco anos.
Talvez um dia eu encontre o fio que me leve para longe deste labirinto.
E me torne um verdadeiro bardo.

João Carlos Faria

Bardo

BARDOS

BAR

MUSICA, POESIA E ENTRENIMENTO.

ESPACO CULTURAL

RUA PATATIVA, 381-VILA TATETUBA
-EM FENTE AO HIPERMERCADO
MAKRO-
TEL 12 3431-0089 OU 3929-87-61

**TODOS OS FINAIS DE SEMANA**A PARTIR DAS 1930 HS.

Manha Cinza

Joca Faria

Silencio na manha cinza, Não ouço nada alem de trovoes e o barulho de chuva verde.
Eu me despi toda em minha cama azul, toco meu corpo apalpo meus
Seios sem nenhum desejo vermelho.
Levanto me nua e passeio pela casa solitária.
Lembro me de meus sonhos nesta casa vazia.
Silencio na manha cinza, Tomo um banho no rio que corre nos fundos.
Desta casa. Nenhum olho a me observar.Alem dos animais.
Todos estão longe daqui e eu solitária nesta manha cinza.
Tomo meu chá, Vejo minha gata em cio como eu.
Silenciosamente toco me a procura de meu sexo vermelho.
Desejos profundos vem à tona ouço o cantar de um pássaro azul.
E manha ainda visto uma saia amarela e uma blusa rosa.
E saio a caminhar por uma trilha em direção a uma cachoeira.
Lá chegando dispo me e me entrego ao sabor da água.
Silencio na manha cinza, deixo a água tocarme desejos amarelos.

João Carlos Faria

quarta-feira, 15 de março de 2006

IMAGENS

Devoradoras de ilusão

Joca Faria

Quem são elas? Quantas são elas a se expor totalmente numa dose
de loucura e escândalo.
Senti-me um anjo entre elas. Querem viver todas as experiências em segundos.
Textos fortes imagens fortes de lindas garotas perdidas num mundo
Lilithiano.
Longe de todas as morais, fechadas numa fachada de podridão e violência direta.
Orkutianemente solitárias entre mistérios corporais desvendados.
Um mundo aparte para chocar, talvez tenham duas vidas uma na
vida real e outra na internet.
Mulheres ainda adolescentes tentando experiências radicais encontrar a si mesma.Vendendo se em imagens multiplicadas e ampliadas na ilusão virtual.
Não se descobriram ainda ridiculamente humanas.

João Carlos Faria

Escritos

Joca Faria

Numa noite de uma terça feira qualquer estou aqui a refletir como
alcançar objetivos.
Mas que objetivos ter? Se a vida passa como um furacão? De uma maneira bem rápida.
Hoje e dia da poesia. Da escrita e eu que busco tornarme um escriba comemoro solitariamente.
A palavras escritas e algo tão recente quanto e recente usar um teclado de um computador.
Antes era uma pequena casta que tinha este acesso. Hoje teclo num
velho computador defasado para os dias de hoje e muito útil para
mim.
Não sei onde minha escrita chegara às vezes ela e taxada de adolescente não sei se e bom ou ruim.
Vou registrando minhas impressões do mundo agora quase que diariamente.
Resolvi me afastar da política partidária estou decepcionado com a
questão partidária só vivem em função de eleições.
Quero preparar livros e os lançar como garrafas contendo papeis
num mar.
Isto me da prazer sinto me útil no momento.Como a quase dez anos
estou desempregado já fui um militante das esquerdas em transe.
Comecei aos treze anos e agora aos trinta e seis não cheguei a lugar nenhum.
Mas onde haveria eu de chegar conquistei cinqüenta votos numa eleição para vereador.
Como político fracassei como Escritor já tenho muitos prazeres
falta ainda meu primeiro livro solo e espero atingir este objetivo ainda este ano.
Escrever diariamente e difícil ,pois vão se acabando os temas ,mas tecnicamente você vai melhorando e ampliando horizontes e bem
melhor que assistir a novela das oito.
E muito saudável como terapia.Espero que também o seja enquanto
Literatura.
Por hoje encerros aguardem novos textos e contextos.

João Carlos Faria

segunda-feira, 13 de março de 2006

http://fotoesia.nafoto.net/l

Foto de Ari-Cruz

Vila Tatetuba

Joca Faria

Ontem foi Sábado mas que Sábado ontem senti me jovem novamente ontem fizemos um Sarau de poesia.Falamos da vida
e da morte ouvimos muitos poetAs presentes e ausentes.
Ontem Vicianamente sábado hoje e Domingo tranqüilamente
Domingo.
Ontem todos cantaram todos sorriram despejarão seus sonhos em
copos de cerveja.
Eu para variar tomei minha velha e boa Coca-cola
Ontem em nossa Vila Tatetuba em São Jose Dos Campos ao lado
da Via Dutra.
Declamamos nossos poemas, ouvimos os dos outros tocamos as musicas de nossas vidas ontem ousei e cantei com minha bela voz
desafinada mas cantei de meu jeito pessoal.
Ontem estava com antigos amigos de caminhada que a muito não saiam juntos.
Ontem estava em meu bairro ontem não precisava de carro nem de ônibus ontem curti ate cansar.
Ontem fomos felizes ontem foi ontem. Hoje e Domingo quero repetir
este prazer não perder esta felicidade.
Amanha quero estar contigo a contar outras historias.
Por agora encerro ontem declamaram Chacal, Vinicius,ZeMoraes
e tantos outros.
Ouvi belos poemas de nossos poetas da comunidade ontem foi
sonho hoje ressaca.
Boemia aqui me tens de regresso.

João Carlos Faria

sábado, 11 de março de 2006

Homens e Mulheres

Joca Faria

Fantasia numa noite de calor insanos desejos mesclados aos
medos inconseqüentes como caminhar por estradas que nunca chegam a lugar nenhum.
Somos uma ilusão perdidos numa esfera de desconhecimentos anologigos ou digitais?
De qual estrela viemos e pra qual iremos quando chegar nossa hora.
Portas trancadas janelas abertas o que temos medo esta alem de nossos sonhos e busca.
Universos paralelos que nossa tola percepção não consegue capitar afinal quem somos? Nesta existência sem nenhum ponto final.
Que mundo a alem deste mundo temporal e finito.
Quantas belezas não conseguimos perceber em nossa limitada tridimensionalidade.
Como são os Anjos seres de asas? A nos proteger
Como são os Demônios talvez todos estejam neste plano físico como Homens e Mulheres.
Somos afinal de contas Anjos e Demônios o que fazemos com nossa existência.
Podemos saber? Por onde andam os Deuses e Deusas
Não podemos estar a sós neste mundo tridimensional
Quando olhamos para as estrelas instintivamente sabemos que a outros como nos espalhados pelo
universo.
Como um dia chegaremos as estrelas? Como fazer
Contato com nossos semelhantes?
Quem somos alem de nossa matéria alem desta tridimensionalidade.
Quando alcançaremos os Deuses e Deusas.

João Carlos Faria

Autobiográfico

Autobiográfico

Joca Faria

Som auto numa sexta-feira chuvosa acontece uma festa e eu sempre
De fora da festa. Porque prefiro um bom livro ou um bom papo com
Os amigos.
Ultimamente sempre só a assistir series de tv e lendo livros. O mundo
Passa me distante bem longe.
Já não sei se perco tempo ou ganho tempo o que e o tempo. Não temos tanto tempo assim.
Ônibus passam cheio de lindas mulheres e eu aqui na frente de um computador ultimamente penso em arrumar um emprego, montar uma
Ong literária.
E poder ir a uma cachoeira e uma praia. Já não tenho tantas ambições
Como já tive no passado. Não sou importante a não ser para mim mesmo nem sei quem ousa ler um texto meu, mas sei que devo escrever.
Faço já sem nenhuma ambição mesmo insistindo.
Não escrevo mais sobre sexo, pois seria uma grande mentira.
Preciso ser mais ficcional em meus textos diários este exercício diário
Para mim já e um habito importante eu num velho computador e cheios
De boas intenções literárias. Se eu morresse hoje o mundo não perderia
Nada.
Mas me esforço para superar meus obstáculos e hei de vencer.

João Carlos Faria

Não ser

Não ser

Joca Faria

Nunca falar nada que não seja a verdade, mas que verdade? Conhecemos a verdade? Não sei alguém sabe? Mas quem sabe quem?
Hoje ela contou me que viu alguém e imaginou ninguém.
Quem , mas não ninguém? Ou alguém? Mas quem?
Não sei, não ser mentira que mentira?
Não somos ou não seremos afinal quem entrou em meu quintal?
Tenho quintal? Mas quem sou afinal?
Sou matéria? Sou espírito? Sou uma fantasia? Quem sou ou quem somos?
Afinal tem quintal? Tem estrelas? Tem abismos? Temos sexo, mas que sexo.
Temos? Somos espíritos? Mas não vejo nada a mais? Cadê a física da metafísica? Não ser? Ou ser? Quem e você que lê? Consegue saber será que e?
O que vejo não e? Tudo e matéria? Ou tudo e espírito? Estou aqui e ali e já passou o momento que escrevi.
Nada sei embora sei? Levanto, como, durmo, trabalho, faço amor, amo, odeio sem nenhum receio.
Cadê seu seio? Cadê meu pênis? Não ser faz parte de ter?
Onde estávamos a cem bilhões de anos? Onde estaremos daqui a um trilhão
De anos?
Quem não somos se somos? Porque não sou o outro e outro não e eu?
Quem sou eu? Este eu existe? Onde esta o eu de quem já foi? Quem foi? Para
Onde foi?
Afinal tem final?

João Carlos Faria

Eu

Eu

Joca Faria

Afinal quem sou eu? Não sou ou sou? Quem quisera ser? Quantas multidões de egos cabem em mim?
Onde estou eu enfim? Pra ONDE vou esta noite sonhei não ser, DISSERAM ME ser casa vazia, então já era eu de novo para os abismos.
Que abismos? Se não temos consciência não teremos culpa? Não sou eu nada alem de uma monada eterna? Este corpo e físico e veste Esta personalidade.Quem um dia acaba. João Carlos Faria e ilusão e Maya então quem sou?
Se sou ilusão? Onde estou de fato? Será mesmo que consigo entender toda esta metafísica Gnostica, Tenho 108 VIDAS num colar quantas vidas ainda tenho pra tidar?
Tento resistir as degenerações ao sexo fácil. Mas meus Demônios internos me levam aos infernos infra-sexuais não faço, mas penso.De pensar morreu um burro.Tenho que morrer a todo instante faço uma confusão sobre todos os fatores como diria o poeta Eduardo Malafaia em vez de ser um mago acabo sendo um grande palhaço.
Que palhaço sou. Dançar ler e reler livros de metafísica e não entender nada.
Como sair deste labirinto de ilusões? Sou eu um simples aprendiz.
Será que ainda teremos tempo?
AFINAL quem sou eu um homem ou um animal?
Nem tudo cabe em meu quintal.
Beijos milhões de beijos.
Eu te desejo sorte nesta entrada ou saída?
Continuo perdido quem não sou.

João Carlos Faria

sexta-feira, 10 de março de 2006

Cavaleiros de Esperança

Joca Faria

Na atual distancia cavaleiro de esperanças vãs exércitos sem armas.
Sem motivo numa solidão desvatastadora para onde vamos quem realmente somos heróis ou anti-heróis?
Numa guerra sem fim, Invasões bárbaras nas ondas dos rádios.
Antenas parabólicas recebendo nada que realmente preste.
Em carnavais baianificados num comercio desalmado.
Somos e não somos minha cabeça dói ferozmente parece
ferida em combate.
Mas que combate parece que enfrentamos gigantes, mas são moinhos de vento de uma sociedade bestificada.
O que de verdade podemos fazer para mudar realmente esta desordem programada pelos senhores do poder.
Ainda não sabemos nem quem somos realmente?
Como mudar a ordem sistêmica se somos o próprio vírus?
Como ser se ainda não o somos? Não sei não me perguntem tenho toda as duvida do mundo.
Avenidas silenciosas no vaivém de automóveis e no céu surge um arco-íres a iluminar nossa fé.
Que ousemos acreditar sem perder nossa coragem.
Somos o que somos e devemos ir alem do arco-íres.

João Carlos Faria

Que ainda se perde no labirinto.

www.cidadedaspalavras.com.br

Comportamento sexual na internet

Comportamento sexual na internet

Joca Faria

Como começar pelo começo? Estamos no inicio e no final de uma
historia ,mas que historia?
Não tenho a historia de hoje terá você a historia? Somos livres para criar nesta tela em branco, mas minha imaginação nestes dias.
De final de verão anda vazia.
Quem sabe você não me da uma idéia caro leitor se eu tiver alguém
Que me leia e claro.
Hoje pesquisando coisas sobre comportamento sexual me deparei
com alguns doidos que usam calcinhas, homens usando calcinhas.
Porque se tem este fetiche estranho.
De tomar o que e do sexo oposto e vestir. No orkut nos deparamos
com as mais loucas manias e depois saímos da internet e vemos um
mundo normal, mas que normalidade e esta?
Quem são estes estranhos seres que abrem paginas sobre homens usando calcinhas, pelados na cachoeira será natural numa sociedade reprimida?
Ai soltam as fantasias na internet e divertem se num carnaval de informações.
Pena que nunca tenho tanto tempo para pesquisar estes fóruns e desvendar as opções destas pessoas.
No que a internet esta mudando a vida cultural de nossa humanidade?
Aonde chegara as mudanças culturais e surgira nova proposta econômica e políticas, tendo tanta gente se expressando livremente.
Por brogs orhuts, sites e mundo novo que se inicia.
Ta aberta à discussão caro leitor quero agora a sua palavra.

João Carlos Faria

quinta-feira, 9 de março de 2006

Entre Linhas

Entre linhas

Joca Faria


Viajar nas palavras nas asas de Mario de Andrade e Roberto Piva só
sobraram-me lagrimas na noite de Domingo um domingo colorido em
noite de açaí.
Ver e ouvir palavras de uma distancia infinita, Ouçamos nossos velhos
poetas em noites descerebradas.
Noites cibernéticos perdidos em meio a windows e linux entre Bil Gates.
Nas asas de São Jose dos Campos.
Quem somos nos homens numa existência numa resistência pueril.
Adorei os ratos de BIBLIOTECA como o cineasta João Nicolau.
Poetas profetas da internet eu vos invoco os seres estranhos tão estranhos como Paulo César Pereio e Mr. Abunjanra em suas Provocações.
Estamos unidos e nutridos pela vá tecnologia e o que acontece com o
Tibet de Lobsang Rampa.
Entre armas e mutilações culturais onde estamos nos a permitir guerras
e tragédias.
Só restam nos as palavras as letras nunca lidas em blogs e correntes.
O que e ser escritor hoje, o que e publicar hoje.
Não sei nunca sei nada estou a naufragar neste mar internetico desconexo e fantasioso.
Que admirável mundo novo e este.Quando teremos conexões baratas?
Quando se fará a revolução do mundo digital?
Hoje e domingo dia de Fantástico vi o Grito de Edvard Muchi estou
em êxtase profano.
Quando alcançarei os Deuses de minha admirável Xena.

João Carlos Faria

Que ainda nada fez.

http://jocafaria.blogspot.com/
www.cidadedaspalavras.com.br

Cidade das Palavras

Cidade das Palavras

Joca Faria

O acaso e algo inesperado que acontece sem saber.Por acaso estava fazendo
um texte num dos programas de gravação de som do computador e ai comecei a ouvir o cd cidade das palavras.www.cidadedaspalavras.com.br.
Que trabalho que fizemos juntar vários poetas de linhas tão diferentes em dois cds eu e Marcelo Planchez.
Agora denominado Grupo Cidade das Palavras dado pelo web designer Paulinho da www.Digitalvale.Com.br num domingo de carnaval.
Ta tudo bem não ganhamos nem um premio não faturasmo nem um trocado ainda.E iremos fundar uma ong.
A nossa idéia nasceu da necessidade de organizar e registrar os trabalhos poéticos dos poetas de São Jose a idéia e gravar um cd por ano.
Fazer um trabalho coletivo e não individual nem narcisista como fizemos com o jornal Litter pela extinta comissão de literatura de nossa querida Fundação Cultural Cassiano Ricardo.
Este e o marco zero como sempre começamos do zero para nascer uma editora para que nos publique sem nenhum tipo de preconceito cultural ou
filosófico e que o artista não tenha que tirar dinheiro do próprio bolso.
Temos hoje o site www.Cidadedaspalavras.Com.br e caminhamos a passos tímidos para editar nossos livros.
E criar um jornal literário tudo e sonho ,mas um sonho pode tornar se realidade.
Também iremos produzir cds de musicas e já temos vídeos na internet numa
grande experimentação.
Hoje montamos uma comunidade virtual com vários artistas de nossa grande nação.
E assim caminhamos somos agora o grupo CIDADE DAS PALAVRAS.


João Carlos Faria

cccccidadedaspalavrassssss

www.cidadedaspalavras.com.br

http://jocafaria.blogspot.com/

Mistérios da Vida

Mistérios da Vida

Dedicado a Wagner Veneziani Costa editor. Pela sua bela abertura
No livro MATRIX – Bem Vindo ao deserto do real.
Pela Editora Madras.

Joca Faria

Perdidos em shoping centers pessoas caminham por entre vitrines
numa tarde de terça-feira.
Olhando roupas na impossibilidade do consumo.
Lendo livros sossegadamente em uma livraria.
Procurando informações sobre o Mistério da Vida que esta diante de nos.
Lendo da bela poesia de Paulo Henriques Britto em seu livro Macau a Matrix- Benvindo ao deserto do real.
Uma boa variação de leitura que busca saber quem somos?
Este filme suscita uma grande interrogação somos passageiros
de um trem ilusório?
A escolher a pílula certa? Nunca sabemos quem realmente somos
sem isso não conseguirmos mudar. Neste dia estou tendo boas influencias de todas as religacoes com o todo.
Minha antena parabólica busca uma sintonia fina com as estrelas e
outras dimensões estamos nesta prisão carnal.
Somos partes das estrelas compomos o universo em toda sua poesia.
Quem ainda não se descobriu poeta não sabe como e uma sintonia
fina.
Li com rapidez e volúpia o livro Macau li também a parte nacional
do livro a filosofia contida em Matrix.
Criação de inteligência artificial, religiões de todos os povos reunidos num belo prefácio que pena que aquele belo texto de
Wagner Veniziani Costa ficou só num prefacio que delicia de interrogações sobre nosso existir.
Afinal quem somos, e onde iremos parar isso conta se em todas as religiões, filosofias e etc e tal.
Afinal o que e esta maquina chamada ser humano.
Quem somos neste imenso universo existimos ou somos uma grande
ilusão?

João Carlos Faria

terça-feira, 7 de março de 2006

Saia Maculina


Joca Faria usando uma
saia.
Porque nos homens não podemos
usar saia?













O poeta Braga Barros

Encontro de Poesia

Encontro de Poesia

Bar do Marinho

Rua Patativa n 381 - Vila Tatetuba
Em frente ao Makro
Apartir das 18 horas.

sexta-feira, 3 de março de 2006


o MUSICO Josivam
Hoje ainda e carnaval.

Joca Faria

Hoje não andei de bicicleta, hoje não usei minha saia. Mesmo sendo carnaval.
Hoje não fiz amor.
Hoje li os livros de minha instante, hoje não ouvi musica.
Hoje não usei internet, Hoje terça-feira de carnaval não fiz nada alem de dormir a tarde inteira e sonhar com o bem e o mal.
Minha solidão e triste tão triste que vi a criança chorar.
Não chupei o sorvete de beijinho que tanto queria chupar.
Não fiz nada alem de ler o belo livro.
Que historia bem contada de Lobsang Rampa no livro A terceira Visão.
Também assisti minha adorável Xena a princesa guerreira adoro assistir a
Esta serie.
Uma notável guerreira bem poderia ser Amazonas.
Nunca vi uma Heroína quando era criança e agora adulto sou fã de Xena.
Quem sabe um dia crio uma historia assim tão bela.
Hoje vi a menina brigar com a avó e assim dormir em seus braços.
Hoje revisei meus projetos e preparei minhas ações.
Hoje pensei e amanha agirei.
Quem sou quem somos? Alguém que passa pelo tempo.
O que somos alem de desejos?
Hoje não andei de bicicleta, Não usei minha saia.
Homem usa saia? Porque não podemos usar saia?
Somos livres para imaginar que um novo mundo e possível.
E não teremos um novo mundo.Imundo.
Hoje ainda e carnaval.
João Carlos Faria


Urbanidade

Joca Faria

Ônibus lotados, carros velozes numa cidade Kaoticamente alheia ao bucolico.
Uma cidade inspirada na velocidade e no instante, faróis faixas, guardas nada.
Disso impede o mundo veloz.
Andar tranqüilamente de bicicleta e se arriscar e correr perigo.
Não insista a cidade e projetada para a rapidez.
A cidade e para as maquinas não para o homem.
Que homem?
Um homem igual a tudo e a todos não ha diferenças não ha crenças somos programados para pensar igual. Ninguém pode ser diferente.
Seguir a moda. Onde esta a contra-cultura?
Não esta ela e moda, mas que moda? Não vejo surgir nada novo no horizonte das sadias divergências.
Nem um alarme de uma nova proposta de civilização, Algo alem do que vivemos do que esta luta do homem contra o próprio homem seremos nos lobisomens?
Seres malévolos por desvio da natureza? Que resposta civilizatoria podemos dar como sairemos de nossas guerrilhas, destas guerras civis e terrorismos internacionais? Onde estão os pacifistas? Onde esta uma nova corrente pacifica?
Vivemos um mundo dividido em partidos, línguas e nem uma busca para o todo universal.
AFINAL quem somos Homens ou animais irracionais?
Quando iremos alem do homem?

João Carlos Faria

WWW.CIDADEDASPALAVRAS.COM.BR