Seguidores

domingo, 3 de junho de 2018

Joka Faria

Hoje não vivi
dia de ilusão
esquecimento
ingloria
sobre a noite de insonia

Joka Faria

Hoje não vivi
dia de iluão
esquecimento
ingloria
sobre a noite de insonia

Joka Faria

Morte ,
vã ilusão .
Mera metafora de dias sem lembrança.

Porno dia , noites cinzentas ,
mortes , ventos ..
almas no corpo ,
eletricidade.

Joka Faria
 

quinta-feira, 31 de maio de 2018


Kanto canções …


Mesmo estando "amor..tecidos", fomos tecidos de amor. (teresa ben)

Teresa Cristina Bendini


Talvez o que nos desespere é a falta de oxigênio. Matéria de amor , vida.
Almas desencantadas,
Kanto canções …
O amor nos desespera, dias de desencanto .. Euforia , êxtase ..

Outono , marginal .. Vias interditadas de galáxias não desbravadas.

O amor que não nos sobra , nos falta ! Desencanto , interdições .. Cargas de desesperança.

Sorria sempre , o não estado , o não governo ,

Kanto canções …

Não desbravamos a arte de amar , ousar , pausar ,

Pensar além de amarras , não ao ódio sim ao amor .

Kanto canções…

Leio vagarosamente poemas !

Desbravemos as possibilidades de construção das palavras.

Caetanear , Mutantes …

Vida , breve , incêndios de amor ..

Talvez o que nos desespere é a falta de oxigênio.


Joka Faria

João Carlos Faria

São José dos Campos , Maio de 2018 com seu ar podre , poluído sem vida.

São Paulo, Brasil

Inspirado na poesia de Teresa Bendini e o uso do K numa postagem de Fernando Selmer.

segunda-feira, 21 de maio de 2018

terça-feira, 15 de maio de 2018



3D

Ela guardiã de eternidades , galáxias ,
tempo inexistente.
Orgasmos .
Esferas , luzes ..
Nunca humana.

Ela deserto , cansaço ,
solidão.

Perdida num planeta prisão.
Sem tempo .. Em um espaço sombrio.
3 D .. Quarta ..

Sem inverno ,
inferno ?

Alma, febre ..
Ela perdida em meio de escombros
de naves , guerras ,

Lembrança .. mera lembrança de uma
jornada inglória ..
Inexistência.

Onde encontrar o amor ?
Ela , tigresa !


Joka Faria
João Carlos Faria

domingo, 13 de maio de 2018

 Dias de Febre Amarela na cidade de Zumbis !

Delírios delitos ! Madrugada  inexistência .. até que a morte nós faça esquecer. Inexistência . Inexistir .. Será que Cazuza estava certo  ? O pássaro quieto na tarde chuvosa , velho canário. Dias , sem luz em trevas. Canta canções tristes nunca soube o que é liberdade ?Porque caiu da árvore em dia de chuva e foi recolhido a uma gaiola ?
É somos nós livres. Ou Crucificados a esta matéria ?
Por um velho Deus de barba branca. Sempre gostei das aventuras dos Deuses Gregos. E este Deus dos Judeus ? Descubro uma canção de Belchior escondida num canto qualquer da internet .
Deuses homens , canções !
Entre orgias de palavras .. canções .. almas vazias .. a canção.!
 Somos , vidas sem orgias .. Sem magia sexual .. Canto de inexistência ..
Nossa moralidade nos consome na inexatidão de um sistema carcomido , estamos mortos ! Zumbis ..
Entre conspirações estrelares .. Naufrágios em naves espaciais ..
Zumbis mortos diante da febre amarela ...
Homens sem luz , trevas ...
Na inexatidão .. Sem magia sexual ...

Zumbis ..
Negamos a possibilidade da magia sexual , negamos a felicidade .
Reto caminho em curvas .. três montanhas ..
Cadê nossa essência !

Joka Faria
João Carlos Faria

Janeiro de 2018 dias de Febre Amarela

quarta-feira, 2 de maio de 2018

uma poeta deste kilate com k mesmo e não Q


uma poeta deste kilate com k mesmo e não Q

Poema de Tatiana Nascimento


Fragmento do poema :

onira

chegando nos azulejos, no piso de uma garagem
primeiro
(o piso é vermelho
cimento-quemado
"vermelhão"
coisa boa de minas)
y logo as línguas molhadas de mar vão subindo
pelas paredes
pelas escadas





Tatiana Nacimento nos faz visitar inumeras memórias como neste fragmento do poema Onira que publiquei no face. Um outro poema publiquei no blog Cidade das Palavras. O POEMA : transmutá:
Estou na leitura de seu livro Lundu . Descobrir uma poeta deste kilate com k mesmo e não Q é um abuso em dias de mediucridade nas artes. Dias sem ousadia. Só ação cultural não nos salva de nossa mediucridade. A arte anda meio jurere. E Jorge Mautner , Fernando Pessoa me salva e alguns remakers na net flix. PERDIDOS NO ESPAÇO ! Tema de outra cronica a ser escrita.
Sem rebelião não TEM arte. Tatiana canaliza o politicamento correto de nossa sociedade e se faz incorreto numa poesia que mostra a realidade do povo. Já morei em casa de dois comodos com o vermelhãO. Infancia. Eita cimento “quemado “ e sonho com os quintais das Minas Gerais ler um livro no computador é dialogo certeiro com o leitor. E com a poeta Tatiana.
Já no celular , livros é ruminação.
A poeta no acaso de um programa também “ politicamente correto “ . Cade as vanguardas ?
Sera’ o “ Funk “ a ousadia imoral da recriação da língua ?
Dias inglorios , sem motivação. Sem arte ! Tudo tem que ter utilidade , tudo deve ter contra – partida ?
Um espaço de arte , ação cultural corre o risco de se fechar na minha cidade para se tornar creche !
Luta ingloria , solitaria a arte não deve estar nos livros e sim no dia a dia.
Nado de braçadas em LUNDU livro que nos traz novidades. Resistencia , arte , vida nestes dias corretos demais.
Continuo a ler e te clamo leitor experimente a leitura deste livro. Experimente a vida além da mesmice. No cotidiano existe revolução.


Joka Faria

João Carlos Faria


sexta-feira, 27 de abril de 2018


Éramos felizes nas cavernas ?

Tatiana Nacimento

FRAGMENTO POEMA :

manhã (v. 01/016)

minha mãe é vento e todo dia de manhã eu vou com os
cachorros me abraçar com ela no ponto de entorpeci
-
mento das minhas cartilagens
o coração é uma engrenagem rangendo fundo no peito
raso rasgado pela amargura da cidade
aço, concreto, paisagem de cimento
minha mãe se chama a dona dos ventos, das tempesta
-
des, das paixões,
e dos mortos.



A poesia urge , urra em meio a devaneios , leio , sobre David Icke profeta pós-apocalíptico . A poesia urge em Tatiana Nascimento me faz ter o desejo de reunir , minhas criações em livro , pdf , internetico galáctico. Quantas conspirações nesta eternidade ? … Deuses , homens .. Éramos felizes nas cavernas ?
Jorge Xerxes e suas belas experimentações poéticas, criar , realizar !
Hoje na aula de arte na manhã de outono mostrei Jorge Mautner aos adolescentes , ainda não tenho técnica para criar uma epifania nas salas de aula , por enquanto saindo inteiro já é muito. Ileso .. A VIDA É REAL !
Noite quente de outono Belchior me encantou , hoje sem meditação estou há horas na rede . Com este criar, encerro minha presença na rede . Feriado mesmo no mundo cão.
Quero as areias , mar … Banhar – me no OCEANO ATLANTICO , enquanto não moro lá , extrato de dias trabalhados , não mergulhei em Pessoa , mas em Tatiana Nascimento leio seu livro vagarosamente , saboreio , amanhã seu Vinicius de Moraes é sábado , seu poema Dia da Criação esta dentro de minha alma , quantas vidas universo afora … David Icke ousa desmontar as crenças da humanidade ? Delírios ? Reptilianos ?
Estamos vivos , livre arbítrio , nada é ao acaso ! Lua artificial ? Mas o homem lá esteve. Súcubos e Íncubos! São os Demônios alienígenas ?
O que nos diria OSWALD de Andrade ? Sobre estas investigações , sou poeta ? , escritor , cabe a mim investigar e recriar .. No tédio abri um livro na madrugada , li até o Sol nascer Gabriel Garcia Marquez .. O livro DO AMOR E OUTROS DEMONIOS.
Ele citou Sierra Nevada , terra de Samael Aun Weor ? .. Dizem que em um livro ele fala do Bruxo...A vida o que é a vida seu ABUJAMRA .. MINHA LISTA DE MPB é uma loucura …
Vou indo ainda sou humano ? Não sei de qual estrela vim , estou com minha fé ! Que não seja cega , institucional , que seja universal , intergaláctica e que sejamos felizes ! “ Que todos seres sejam felizes “ …
A vida esta ai , enquanto não pego uma carona num disco voador !
Em um poema no meu livro “ RETINA “ Clarice atravessava o espelho e nestas divagações dizem existir outra terra além do espelho … “ Que todos os seres sejam felizes “ …


Joka Faria

João Carlos Faria

27 de Abril de 2018
Planeta TERRA " Gaia "