Seguidores

quinta-feira, 9 de agosto de 2018

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, pessoas em pé e barbaAllen Ginsberg retira da pagina do Facebook de Cláudio Willer

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas

segunda-feira, 23 de julho de 2018


 


A arte de Diego El Khouri


 


O vermelho sempre presente nas obras de Diego El Khouri. Poeta e artista plástico, mas artista com A maiúsculo.
Presença em várias redes sociais, nos alegra com suas obras.
Poemas muitas vezes longos, na velha linha Beat. Mas o vermelho em sua obra sempre me marca profundamente.
Arrisquei um poema para retratar sua arte.
Dias que descubro o YouTube com seus canais de arte. As bandas de Goiás nos revela um artista promissor e de imensa presença.
Edu Planchez que me falou desse poeta, mas Diego El Khouri flerta com inúmeras artes. Através dele, cheguei em Barata e Nua Estrela.
Gente nos descaminhos das artes. Em dias monótonos. Dias nefastos. Arte que nos liberta na obra, reflexão de Diego El Khouri.
Mais um quadro, suas tintas. Já andou pelas bandas do Río de Janeiro. Mas a velha Goiás é sua casa. E dali sua obra alcança o planeta.
Viva a arte de Diego El Khouri. Nessa jornada de Kaos, de Nietzsche e Jorge Mautner.
Que sua experiência na faculdade gere novas transgressões. Transgredir é preciso. Navegamos em águas incertas nessa democracia.
As redes sociais nos separam e nos aproximam. Viva a arte deste Goiano, além da velha música sertaneja. Goiás nos apresenta um artista pós-vanguardas.
Artista do séc XXI. Vá além dessa dimensão. Diego El Khouri, cuidado com portais!
Viva sua arte nessa hipermodernidade. No fim, cairemos na estrada e nos tornaremos pó, desse vermelho sangue de suas obras…Infinita estrada!

Joka Faria

João Carlos Faria

Julho de 2018

sábado, 21 de julho de 2018

Joka Faria


O desesperançar do povo brasileiro

 O desesperançar.
O Brasil vive numa penumbra. Nunca uma eleição foi tão desesperadora. Do jeito que está a extrema direita ganha simpatia. As esquerdas se despedaçam no abismo. O povo fragilizado no ódio e desamor. Votar ou não votar faz alguma diferença?
A câmara voltará quase toda ela para nos tirar alguns direitos.
Estava lendo o colunista Sakamoto da Folha de São Paulo, UOL. Tristes conclusões de inúmeros articulista de sites e jornais.
E as redes sociais que não inspiram mudanças. Nos jogamos cada vez mais no abismo.
Quase nem escrevo sobre política e eleições. Escrevo esse para nos alertar enquanto sociedade. Devemos reagir, mas sem lideranças. De forma horizontal.
Quando chegamos a esse estado de miséria social? É hora de mudar! O que fazer? Não vejo soluções, nem luz nesse imenso túnel que estamos desde 2013.
Falta-nos liderança. Mas como? O Brasil carece de nossa ousadia. Mas cadê essa ousadia?
Qual período histórico da humanidade se pode refletir para tentar entender esse Brasil de hoje? Que filósofos ler e se espelhar? Que poetas nos dá esperança para sairmos desse desesperançar?
Sakamoto não é uma voz solitária. Quantos artigos, matérias e ódios nas redes sociais. Desesperar jamais, como numa velha canção?
Quero falar de esperança, mas ela anda distante, viajando numa galáxia, dimensão outra. Cadê o amor ao próximo, a empatia e a compaixão nesses dias de dor e desalento?
Cadê Gonzaguinha e sua fé no homem?

Joka Faria

João Carlos Faria

Julho de 2018

Sarau a luz de Velas
Em Agosto , sábado 4 as 7 da noite.
Espaço Estação Cidadania

quinta-feira, 5 de julho de 2018

Qual é a carta na manga de Lula ?

Eleição 2018 silencia é omissão !

Tenho escrito pouco sobre política , mas é hora de nos silenciarmos ? De ficarmos calados ?
Diante de um pais no caos econômico social , um pais que necessita de reformas que mudem os absurdos ! Devemos sim debater a reforma da previdência. Mas que garanta uma aposentadoria justa para todos.
Debatermos os rumos da educação brasileira debater o Eca , a questão da progressão continuada
e tudo o mais.
Silencio é omissão diante até de uma candidatura de Lula que no jurídico não se realizará ?
A esquerda , os progressistas tem hoje três nomes que podem juntar as forças Ciro Gomes ,Manuela Pinto Vieira d'Ávila , Guilherme Castro Boulos.
Não sabemos até onde o PT que continua sendo um partido decisivo no campo progressista manterá a candidatura de Luiz Inácio Lula da Silva que hoje cumpre pena.
É preciso pensar em alternativas para o eleitorado brasileiro, estes três nomes estão ai sinto que o que esta mais preparado é Ciro Gomes que aguarda uma benção de Lula !
Qual é a carta na manga de Lula ?
Não sabemos, Lula esta bem vivo e articulando atrás das grades . Que sempre nos surpreende e este avanço de uma direita alienada , retrograda que ganha uma massa de eleitores ?
Querem o ódio , perseguição e o desamor.
Posso até ser ingênuo. Mas que jogo perigoso é este para a Democracia , conquistada depois de vinte anos nefasto de uma ditadura que demoliu as bases da educação publica.
Um pais que não investe realmente em educação , arte , cultura não sairá dos abismos.
Quantas gerações se perdem ? Quantas possibilidades humanas ?
Esta crise econômica , social não se desfaz. Estamos em uma crise de estado onde os privilégios nunca são atacados.
Nem sei se estes três nomes são os melhores , mas estão ai enquanto escrevo Elza Soares mostra sua força guerreira.
Temos a arte que nos prepara para a guerra da vida , leio Cioran , muito suor na leitura de Psicogênese da Língua escrita de Emilia Ferrero, Ana Teberosky.
Se não estivermos atentos nas redes sociais , nas ruas que rumo o Brasil terá ?
Esquerda desunida nos levará ao abismo eleitoral , ao caos e a eleição das forças do ódio.
Ou reagimos e fazemos nossa parte, refletirmos e agirmos ou esta batalha será um fiasco !


Joka Faria

João Carlos Faria

Julho de 2018

Em AGOSTO
Sarau a luz de Velas
Dia 4 , sábado as 19 horas
ESPAÇO : Estação Cidadania
SÃO JOSÉ DOS CAMPOS SP 

Livre de vírus. www.avast.com.

  • ,

  • ou

  • sexta-feira, 29 de junho de 2018

    Seja BEM vindo !

    Solfidone deve estar em alguma estrela bem distante.
    Mas no mesmo momento num centro de compras qualquer a colher simbolos da arte do amar.
    Quem sabe novos escritos apareçam num tempo , sem tempo em nossa inexistencia. E quem sabe onde anda Kharistos ?
    Quantas praças universos afora. Minha mais nova embriaguez de velha alma
    e assistir aos canais de Marcelo Marins.
    Eita vida !
    Abraços Bruno seja bem vindo a este circulo de céus e infernos .
    A Base Ativa dos Seres Extra Terrestre. Irmandade despercebida aos olhares cartesianos.


    Joka Faria
    João Carlos Faria


    I
    Enfim o amor e seu monólogo
    Desatam os nós do purgatório
    Esta lonjura tão violenta e incidental
    Comove-me os braços de dias estrangeiros
    II
    Suave é  a noite?
    Olhares que permitem
    A palavra que não incomoda
    O estorvo citadino acumula
    Entrelinhas que emergem com a cura
    III
    Os homens e suas paráfrases
    Devem continuar raros
    Desejando que o sol desabe
    Sobre suas sentenças
    Tiranias de um nascer
    Após o avanço  paisagístico
    O homem mente

    Partícula biográfica: Sou Bruno Baker nascido no círculo do signo do transtorno de identidade, ex-escritor, politicamente incorreto. Me formei em história porém não sou historiador. Pari alguns empecilhos poéticos e os publiquei no Clube de Autores. Atualmente cuido do acervo Arnaldo Albuquerque e também sou  sobrinho do Solfidone.

    Publicado no Entrementes

     

    terça-feira, 26 de junho de 2018

    quinta-feira, 21 de junho de 2018

    Orações por quase nada!

     

    Sobre o impacto de Emil Cioran…
    Dias de muros desumanos, desabrigados em fronteiras inexistentes. A humanidade se desumaniza em suas inconsequentes teorias econômicas. Líderes são reflexos ultrajantes de seu povo.


    Dedicado aos Médicos Sem Fronteiras e mencionando o monstro desumano Donald Trump

     


    Calejados olhos, almas despedaçadas, frangalhos desumanos.
     
    Muros de separação, crianças separadas de seus pais.

    Calejados olhos, tantas imagens na desesperança do dia a dia.
     
    Em sonhos tudo é falso. Cidades desoladas.

    Calejados olhos, não ver a insensatez nos miseráveis jogos de
    poder.

    Calejados olhos, cegos na inexatidão da vida, no cênico teatro
    das mídias.

    É melhor fingir-se de surdo, mudo, enquanto os olhos calejados,
     
    corações, orações por quase nada!

    Descobrir-se inútil no cênico jogo da vida, mais solidão do que nunca.
     
    Leio descrente de tudo, a solidão de Diógenes é a realidade.

    Quero mergulhar na densa floresta do esquecimento!
    Descobrir-me.
     
    Em nossa fragilidade, salva-se a humanidade de Médicos sem
    fronteiras.

    Nossa pátria é o que nos resta de solidariedade, com uma pitada de aprender a ver o próximo como se nos víssemos no espelho.
     
    Quando olhamos espelhos, nossos monstros hipermodernos anunciam nossa desgraça humana.

    Calejados olhos, desesperança, desgraça humana.

    Joka Faria

    João Carlos Faria

    http://entrementes.com.br/2018/06/oracoes-por-quase-nada/Junho de 2018